​Assessoria de Imprensa/AGEM

A Agência Metropolitana da Baixada Santista – AGEM, vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Metropolitano, existe desde 1998. Chegando aos 19 anos, a autarquia “adolescente, criada dois anos após a Região Metropolitana da Baixada Santista, até agora não mostrou a que veio, qual o real propósito da sua existência, que não seja para  abrigar apadrinhados políticos do PSDB e partidos amigos.

Em primeiro lugar não existe a tal Região Metropolitana. Em segundo, como uma Agência vai cuidar de algo que ainda não saiu do papel. A outra questão é que os prefeitos da região cuidam do seu quintal e não estão nem um pouco preocupados com o que acontece fora dos limites de suas cidades.

Os mais críticos dizem que Agem só se mostra eficiente quando organiza o famoso boca-livre em coquetéis e coffee-breaks.

Os gênios da política local parece que encontraram um alternativa para tirar a AGEM da inércia. A Agência vai passar a funcionar na Cadeia Velha, no Centro de Santos. A intenção é incentivar “ações culturais regionais”.

Não dá para ser otimista em relação à iniciativa. A AGEM chega cheia de vícios e carecendo de iniciativas e atos que justifiquem sua existência. Tem tudo para ser um orgão ultrapassado dentro de uma Cadeia Velha.