Acharam que a série de reportagens da Santa Casa tinha acabado? Infelizmente, para o hospital mais antigo do país, é tanto conteúdo que acho que teremos que fechar parcerias para terminar de checar tantos dados de dossiês apócrifos, não apócrifos, falas em off, contratos e documentos, que estamos abertos a jornalistas e veículos interessados em colaborar na apuração e publicação dos fatos, algo no estilo do Intercept Brasil. Aguardo o contato de todos os jornalistas interessados.

Hoje, vamos abordar mais sobre o abuso de poder e autoridade praticados pelo vice- provedor Luiz Simões Polaco Filho no hospital, afim de gerar vantagens para seus familiares e os negócios da Família.

pola4

Fernando Polaco filho de Luiz Polaco

Advogado de renome na Cidade, Luiz Simões Polaco Filho resolveu se aposentar e deixou o seu escritório de advocacia nas mãos do filho, Fernando Piazza Polaco. Este resolveu fechar a famosa banca de advocacia paterna e criar a Polaco Produções Teatrais. E, para isso, contou com todo o apoio do pai. ,Basta conferirmos a página da Polaco Produções Teatrais no Facebook para ver que ela funciona onde Polaco Filho tinha escritório de advocacia e o e-mail de contato é lspolaco@litoral.com.br. A abreviação “LS” seria de Luiz Simões. Ou seja, há índicos que comprovam a sociedade do vice-provedor com o negócio do Filho.

Basta conferir no link a seguir ou na imagem na sequência: https://www.facebook.com/Polaco-Produ%C3%A7oes-Teatrais-704481876254251/

pola3

Sim, Fernando se descobriu na vida como “produtor cultural”. E conseguiu algum êxito nesse ramo graças ao famoso “paitrocínio”. E graças às posições que o pai ocupa na sociedade. E, nitidamente, graças à intervenção do vice-provedor, a Santa Casa foi envolvida como patrocinadora da produção de diversas peças voltadas à religião espírita que foram colocadas em cartaz em Santos, com o Plano de Saúde Santa Casa, bancando essas atividades. Veja abaixo alguns exemplos de peças:

pola5

pola2

pola1

Qual interesse do Plano de Saúde “Santa Casa” em patrocinar tantas atividades voltadas a peças teatrais espíritas senão agradar ao vice-provedor?

pola6
Polaco e sua “noiva” funcionária na Santa Casa

Questionado por esse jornalista sobre o “PAItrocínio” ao filho, Polaco respondeu: “O Vice- Provedor da Santa Casa nunca solicitou para o Plano de Saúde Santa Casa, patrocínio de “diversas peças de cunho espírita para a “Polaco Produções Artísticas”, de propriedade do seu filho, “mesmo que tal patrocínio por vias normais isso não aconteceria”. Quem lhe deu essa informação que faça essa prova por escrito de minha solicitação”.

Polaco não esclareceu o porquê que a Polaco Produções Teatrais funciona em seu escritório de advocacia e utiliza o e-mail lspolaco@litoral.com.br . Para qualquer leitor com o mínimo de bom senso é possível verificar que o “ilibado” Polaco comete tráfico de influência no hospital e até mesmo no Santos FC, onde é um dos vice-presidentes do Conselho. Afinal, o Sistema “Santa Cecília” de Comunicação, de propriedade do presidente do Conselho do Santos, Marcelo Teixeira, também patrocina as atividades teatrais de Polaco e seu filho. Será que essa outra instituição “Santa” concordaria em patrocinar uma peça espírita de outro produtor cultural?

Segundo vasto material entregue ao Blog Santos em Off, as peças de Polaco foram um dos principais motivos do racha entre ele e Ariovaldo Feliciano. O presidente do Plano Santa Casa Paulo Wiazowisk reclamou desses patrocínios ao provedor que mandou retirar todos. E assim foi feito para a revolta do vice-provedor, que queria patrocínio do Plano até para “excursões para ver peças espíritas em São Paulo”.

Será que Fernando Piazza Polaco teria condições de realizar as peças sem o “Paitrocínio” do vice-provedor? Está certo ele usar a Santa Casa para beneficiar familiares? Também não.

O histórico de Polaco é vergonhoso: usa dossiês com nomes de mortos há décadas para fazer politicagem no hospital. Muda de função e dá aumento para a noiva funcionária, facilita a vida de parceiros do hospital com quem mantém relação e ainda “paitrocina” as atividades teatrais do filho.

Em contato por escrito comigo, Polaco disse: “Estou no Hospital da Irmandade há muitos anos por idealismo, sem nenhum interesse político, ou politicagem, muito menos econômico ou financeiros, nem para me promover socialmente. Não sou candidato a nada, e se ocupei o Cargo de Procurador Geral e posteriormente fui eleito vice-provedor, é porque o atual provedor insistiu para que eu fosse. Porém, sem falsa modéstia, devo dizer que tenho curriculum vitae PARA TUDO. Sou advogado há mais de 45 anos; sou pós-graduado em nível de mestrado desde o ano 1978, pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (Largo de São Francisco); fui professor durante 18 anos da Faculdade de Direito da Unisantos; Fui Vice Presidente eleito da Associação dos Docentes da Unisantos, e reeleito por 2 duas vezes consecutivas, portanto, durante 6 anos; fui Vice Presidente do Conselho de Administração da Associação dos Advogados de Santos, fui Vice Presidente, posteriormente, de sua Diretoria, fui membro do Instituto Brasileiro de Direito Processual; fui membro do Instituto Ibero-americano de Direito Processual, ocupei vários cargos na OAB-SP, subseção de Santos, fui deputado federal representando a Loja Maçônica Estrela de Santos, durante 28 anos, em Brasília; Ostento os títulos de Benemérito e Grande Benemérito da ordem maçônica do Grande Oriente do Brasil, de Deputado Federal maçônico Honorário; ocupo cargos no Santos FC, onde sou sócio há mais de 68 anos, desde 1980, como Vice Presidente do Jurídico, Vice Presidente de Comunicações, Diretor Jurídico, Vice Presidente do Conselho Deliberativo, Secretário da Mesa do Conselho, membro das comissões permanentes, dentre outros, sem que ninguém, até a presente data, levantasse dúvida quanto à minha conduta ética e moral…”. Pelo visto, ninguém leu Polaco direito ao longo de sua vida!

E a pergunta fica. Se Polaco está no hospital há tantos anos por idealismo, porque nunca tirou do bolso, ou se dedicou para resolver os problemas financeiros da Santa Casa?Será que estava mais preocupado em ver como tirar benefício próprio nisso tudo?

Onde estava Polaco na maior crise financeira do hospital, segundo reportagem do Jornal A Tribuna em dezembro de 2015? Será que o atual vice-provedor não criticava em 2015 porque tem interesses em conjunto mal-explicados com o diretor clínico da época, José Luis Camargo Barbosa? Estamos apurando mais sobre o tema. Médico da Santa Casa e “irmão” da entidade que mantém o hospital, Barbosa deve ser candidato a provedor e ter Polaco como vice com seu apoio.

Vários médicos entraram em contato com o Blog, principalmente aqueles que têm paixão pelo hospital e com décadas de trabalho na entidade, querendo entender qual é e qual era a relação entre o atual vice-provedor e o Dr José Luis Barbosa que tanto falam juntos e confabulam pelos corredores do hospital. Seria vontade de José Luis Barbosa retornar, pelo menos, ao posto de Diretor-Clínico onde quase fez fechar a Santa Casa fechar, se Polaco insistir em ser o provedor?

pola9

pola7

pola8

Aguardem mais matérias. Mais contratos me foram entregues. Coisas muito nebulosas e cabeludas que o corpo jurídico que me auxilia está analisando.

A conferir.