Continuando as reportagens em torno dos problemas envolvendo a Santa Casa, o Blog Santos em OFF traz uma denúncia envolvendo o vice-provedor Luiz Simões Polaco Filho, o homem que de posse de um dossiê que teria sido elaborado por um ex-provedor morto há 25 anos, começou a denegrir a imagem da Mesa Diretiva da Irmandade Santa Casa que entrega na imprensa e nas rodas de café pela Cidade. No fim, as motivações, que parecem puras, são por vantagens pessoais e politicagem interna no primeiro hospital do Brasil.

Deputado federal da maçonaria representando a Loja Estrela de Santos, Grande Benemérito da Ordem Maçônica do Grande Oriente do Brasil, advogado de renome com 45 anos de banca, Mestre em Direito pela USP, professor por 18 anos da Direito Unisantos, membro da diretoria de diversas entidades do Direito santista, paulista e nacional, segundo vice-presidente do Conselho do Santos FC, onde ocupou diversos cargos diretivos, Polaco é tido por uma das pessoas mais corretas, justas e honestas da Cidade de Santos.

Porém, quando se observa mais de perto as máscaras colocadas ao longo de uma vida acabam reveladas. Solteiro e galanteador, Polaco é muito atencioso com as mulheres como regra geral. Inclusive com funcionárias da Santa Casa que, respeitosamente, sempre o chamavam de Dr. Polaco, mesmo quando ele pedia para retirar o doutor. Separado há quase 50 anos da mãe de seus dois filhos, Polaco sempre foi um galanteador discreto, mas goleador, anotando mais tentos que em seu tempo de futebolista, quando atendia pela alcunha de Luizinho marcando pelo Grêmio São Luiz do Colégio Santista, Jabaquara e Portuguesa Santista, entre outros times.

Segundo o dossiê de mais de 300 folhas entregue ao blog, os tempos de artilheiro discreto do amor chegaram ao fim para Polaco. Segundo provas diversas como fotos, Polaco, que tem 78 anos, embarcou em um romance sólido com Ana Paula de Matos, que consta ter 48 anos, ou seja,  é 30 anos mais jovem. O histórico artilheiro cansou de viver sozinho e resolveu dividir um teto. Comunicou aos dois filhos e os netos, que receberam a notícia contrariados, e inclusive convidou conselheiros do Santos e da Santa Casa para a cerimônia de casamento que está pré-agendada para dezembro deste ano na Igreja Congregação Cristã, culto evangélico que passou a frequentar a convite da noiva. Apresentou de maneira cortês e especial a noiva aos seus companheiros da Mesa do Conselho do Santos, até mesmo para Marcelo Teixeira a quem pediu muito a presença na oficialização do enlace amoroso.

Mas o leitor deve estar se questionando, que mal há em um senhor de 78 anos buscar companhia para o fim da vida? Nada demais. Se não fosse o fato de Ana Paula ser funcionária da Santa Casa, ou seja, subordinada, mesmo que indiretamente ao vice-provedor, cargo que Polaco ocupa.

Segundo dados entregues ao blog, Ana Paula de Matos estava registrada no hospital como administradora de plantão, cumprindo jornada de 12 horas de trabalho por 36 de descanso. E, após engatar romance com o vice-provedor, teria sido remanejada de função, para uma atribuição “mais light” na recepção do Centro Cirúrgico, onde cumpre 8 horas diárias. Além disso, teria tido um significativo aumento, tudo “a mando” do vice provedor e seu futuro esposo. Afinal, é o sonho de todo homem ver a mulher ganhar mais e trabalhar menos. Ana Paula estaria inclusive acompanhando Polaco em eventos no hospital durante seu expediente, com a desculpa de estar atendendo convocação do vice-provedor.

pola18

Ana Paula de Matos e Luiz Polaco em recente evento da Santa Casa

O Blog apurou que Polaco, inclusive, teria comprado um apartamento para Ana Paula de Matos residir em Santos e facilitar os encontros do casal, uma vez que a funcionária da Santa Casa residia em Cubatão, o que dificultava muito os encontros. Ao lado da noiva, Polaco teria visitado cerca de 20 apartamentos e adquirido um por volta de R$ 150 mil para atender a vontade de Ana Paula e evitar gastos longos de gasolina.

Segundo consta, os dois filhos de Polaco do seu primeiro casamento não estão nada contentes com a situação e ameaçaram interditar o pai, obrigando-o a dividir os bens que estão em seu nome e no nome dos netos, a fim de preservar o patrimônio da família. Este Blog já solicitou a corretor de sua confiança que levante a situação cadastral dos imóveis de Polaco, inclusive da casa no bairro da Pompeia, dois quarteirões da orla santista, e, em uma primeira checagem, é possível verificar a alteração patrimonial já ocorrida ou em trâmite.

Contradições de Polaco

Desde a publicação da primeira matéria sobre a Santa Casa, na noite de 11 de setembro, quando este blog esclareceu que o dossiê de Polaco contra a própria diretoria que integra, no hospital mais antigo do país, é assinado por um ex-provedor morto há 25 anos, este jornalista vem recebendo mensagens via whatsapp e e-mail do vice-provedor. Três delas foram durante a madrugada do dia 12 de setembro.

Na primeira mensagem, por volta da 1H20, Polaco afirma, que não tem pretensão de ser nada na Mesa Administrativa da Santa Casa. E que foi Procurador Geral e depois vice- Provedor por insistência de Ariovaldo Feliciano, que segundo ele virou irmão do hospital em dezembro de 2015 e se elegeu provedor em janeiro de 2016, com sua ajuda.

Depois, respondendo a alguns questionamentos que este jornalista fez diante do material do dossiê entregue ao blog (cujo conteúdo ainda não foi todo publicado), Polaco responde desse jeito a seguinte pergunta:

Santos Em OFF- É verdade que o senhor pretende sair candidato a provedor na eleição de fevereiro de 2020 e já teria confidenciado em grupos de whatsapp que possui os votos necessários para vencer o pleito?

Luiz Simões Polaco-Estou no Hospital da Irmandade há muitos anos por idealismo, sem nenhum interesse político, ou politicagem, muito menos econômico ou financeiros, nem para me promover socialmente. Não sou candidato a nada, e se ocupei o Cargo de Procurador Geral e posteriormente fui eleito vice-provedor, é porque o atual Provedor insistiu para que eu fosse. Porém, sem falsa modéstia devo dizer que tenho curriculum vitae para tudo… (Polaco cita vasto currículo em parte já reproduzido neste texto) …sem que ninguém, até a presente data, levantasse dúvida quanto à minha conduta ética e moral. Como pode um indivíduo qualquer, que se autodenomina diretor-administrativo e financeiro da Irmandade, sem nenhuma qualificação, pretender colocar dúvida sobre a minha conduta ética e moral, dentro e fora da Irmandade. Eu repito, que não tenho intenção de me candidatar para nada uma vez terminado o meu mandato de vice-provedor, apenas, vou voltar a ocupar o cargo de integrante do Conselho Geral da Irmandade, do qual estou licenciado, para fiscalizar a conduta desses, ou de outros impostores, que vierem a assumir os destinos da Irmandade. Concluindo, não sou eu que quero ser candidato, mas sim, eles, que não querem perder a mamata.

Observem que Polaco insinua que a fonte do dossiê entregue a este blog é o Diretor do Hospital, Augusto Capodicasa, figura ao qual não nutrimos a menor simpatia e que também é alvo de denúncias que estamos apurando, como a que ele recebe dois ou mais salários da Santa Casa e que será tema de nossa próxima reportagem.

Dentro do dossiê entregue a este jornalista veio um DVD com várias gravações que parecem serem sido feitas em celulares ou pelos corredores do hospital. Entre os “grampeados” está Luiz Polaco. Ouçam o que ele diz sobre participar da eleição da Santa Casa de 2020, garantindo que tem os votos para ser provedor e como ameaça Capodicasa, dizendo que o colocara para administrar porcos em uma chácara da entidade. Será que Polaco pensa em fornecer bacon para o Burger King que está sendo erguido em terreno do hospital e que ele anda criticando por aí?

Há outros áudios onde Polaco oferece o cargo simbólico de “Rainha da Santa Casa” em sua futura gestão para funcionárias amigas, e para outras não tão próximas prometeu benefícios em sua futura gestão se entregassem ou revelassem desvios de conduta de Ariovaldo Feliciano e Augusto Capodicasa. Para não comprometer as funcionárias gravadas que nada tem a ver com isso, não revelaremos essas gravações pois, no entendimento desse jornalista, a gravação acima já mostra como a cada momento Polaco afirma algo diferente dependendo do público.

Também questionamos o vice-provedor Polaco sobre seu relacionamento com a funcionária Ana Paula de Matos. E mais uma vez ele se contradiz. Na primeira vez que perguntamos, Polaco usou a estratégia de entrevistas conhecida por “Paulo Maluf”. Trata-se de uma tática de treinamento comunicacional que leva o nome do político do “rouba, mas faz” por ele sempre a utilizá-la: o jornalista pergunta o que quer e eu respondo o que quero. Polaco não responde e ataca outras pessoas sem citar seus nomes e nem comprovar o que diz. O questionamento foi feito via whatsapp e respondido por e-mail por Polaco. Confira:

Santos em OFF – É verdade que o senhor está noivo ou namora uma funcionária da Santa Casa de nome Ana Paula de Matos, cuja relação se iniciou após sua eleição como vice- provedor e que, após isso e a seu pedido, ela mudou de função para uma de menor carga horária e salário superior ao que tinha? Se a resposta for sim, o senhor acha isso uma postura correta?

Luiz Polaco – A minha relação de amizade com dezenas, senão centenas de funcionárias da Santa Casa, sempre foi de muito carinho e amor, mas, sempre, respeitosamente, nunca com outras intenções, como insinua esse sórdido indivíduo que lhe presta essas falsas informações. Esse indivíduo demitiu centenas de funcionários injustamente para contratar outros de suas relações de amizade e interesse, os quais, se mantêm lá servientes, percebendo altos salários que não perceberiam em nenhuma empresa no mundo.  Ademais, se eu quisesse mudar qualquer funcionário de função eu não pediria, EU MANDARIA, porque esses vermes deveriam saber que abaixo do Provedor, eu sou a principal autoridade do hospital. Não vou citar o nome de nenhum funcionário ou funcionária, por tratar-se de questão ética, moral e de privacidade, o que nos sujeitaria a responder por danos morais. Mas, lá no hospital tem, por exemplo, funcionário contratado pelo Provedor e pelo Augusto Capodicasa, ganhando generosos salários, e sua esposa colocada, primeiramente, de irmã na Irmandade e, posteriormente, no Conselho Deliberativo, que é aquele que elege o Provedor.  O senhor entende que isso é ético, moral e lícito, em face do art. 21, parágrafo único, do Compromisso da Irmandade, que veda tal conduta?  Seria ético e moral de minha parte declinar aqui o seu nome?  O hospital tem uma outra senhora, que é esposa de um integrante da Mesa Administrativa, a qual detém ao mesmo tempo, o mandato de integrante do Conselho geral da irmandade e de diretora-presidente de um outro setor do hospital. Não existe nisso um manifesto impedimento, além de conduta antiética e imoral, pelo menos? o senhor gostaria que eu declinasse o seu nome aqui nesta reportagem?

É notado que Polaco ficou irritado e não respondeu o questionamento. Aproveitou e mais uma vez ataca, sem citar o nome, Augusto Capodicasa, e outros. Após receber uma nova mensagem, insisti com Polaco que ele respondesse à questão da noiva. Confira abaixo o questionamento e a resposta “seca e direta” do vice-provedor:

Santos em OFF-Dr. Polaco, boa tarde! Quem está passando essas informações para mim? Tenho outras denúncias que vou publicar sobre outras pessoas. Estou terminando de checar e publico ainda hoje. Inclusive, tenho uma contra o tal de Augusto Capodicasa, já apurada, que vou publicar também. Nada do que foi publicado desonra o senhor. Existem outras situações bem complicadas e que o senhor não explicou. Meu blog é independente, por isso, o nome: Santos Em Off. Agora, algumas questões deixaram de ser respondidas, como o caso da funcionária sua noiva, e o senhor aproveitou para atacar outras pessoas sem citar os nomes, algo muito grave. Tenho documentos, como o senhor já viu na primeira publicação. Se tiver alguma denúncia ou informação pode me passar por aqui ou e-mail. Fico à disposição.

Após esse questionamento, Polaco respondeu sobre Ana Paula de Matos, de forma simples e direta, já calmo: “Eu não sou noivo nem namoro ninguém na Santa Casa”.

Este blog está tranquilo quanto ao publicar o caso pois, como disse anteriormente, há fotos e qualquer conselheiro pode ir à Irmandade e verificar junto ao RH do hospital a situação profissional de Ana Paula de Matos e verificar in loco as informações aqui colocadas. Não há problema algum em as pessoas se relacionarem. É algo humano inclusive. O errado é uma pessoa que ocupa uma função pública, como o caso de Polaco, a utilizá-la para benefícios pessoais e das pessoas de sua relação. E a futura esposa não foi a única parente ou pessoa de relação de Polaco que recebeu auxílio antiético e amoral do hospital. Há o caso do filho que iremos esclarecer em um próximo post.

Ameaça velada

Em uma das últimas mensagens trocadas com este jornalista, Dr. Polaco, em tom de “ameaça”insiste em “se encontrar pessoalmente” com este jornalista e diz ter “conversado com promotores públicos que entendem que devo encaminhar uma representação a eles para as medidas judiciais criminais e cíveis que eu tenho que adotar”.

Além disso, procurou o Sindicato dos Jornalistas e inúmeros colegas deste blogueiro atrás de meu endereço residencial e profissional, querendo “ter um encontro pessoal comigo”. Não tenho por regra me encontrar com pessoas as quais estão sendo investigadas pelo blog, afim desses encontros não gerarem outras interpretações.

A preocupação com esse possível encontro com Polaco também é com a minha integridade física. Inclusive estou avaliando em registrar um Boletim de Ocorrência contra o vice-provedor para me salvaguardar.

Polaco tenta esclarecer o dossiê do Fantasma e, novamente, se contradiz

As contradições de Polaco continuam. Quanto ao dossiê “assinado” pelo fantasma do ex-provedor Alberto Levy, Polaco, em mensagem de whatsapp enviada as 01H09 de 12 de setembro a este jornalista diz: “…O dossiê que eu recebi – não é de minha autoria -, e se ao final tinha o nome do Sr. Alberto Levy, a verdade e que, não tinha sua assinatura. Está instruído com vários documentos que comprovam a veracidade dos fatos. Esses, somados ao que tenho conhecimento, por representação minha, foram levados ao conhecimento do presidente do Conselho Deliberativo da Irmandade…”. Este blog esclarece que recebeu cópia assinada por alguém em cima do nome de Levir, entre outros documentos.

Em nova mensagem enviada 14 minutos depois da citada acima (às 01H23 de 12/09), Polaco diz: “…O dossiê que me enviaram por carta registrada contém o nome, ao final, do Sr. Alberto Levy, mas não contém sua assinatura. O importante e que o referido dossiê veio acompanhado de documentos que comprovam os fatos nele relatados. Nenhum dos que estão hoje na Mesa Administrativa da Irmandade tem conhecimento do que lá está acontecendo, salvo o Provedor, o Sr. João Domingos Neto, e o Sr. Augusto Capodicasa, que não é irmão e é quem dá ordens lá na Santa Casa. Uma auditoria externa, integrada por pessoas de ilibada reputação e reconhecida competência vai mostrar – ao contrário do que muitos pensam vendo apenas pela aparência – a real situação da Santa Casa e do Plano de Saúde. Mais informações estou a tua disposição abraço….”.

Depois, enviei questionamento sobre o tema a Polaco, que não fala em carta registrada, mas em um “ofício”. Confira:

Santos Em OFF- O senhor consegue identificar a origem dessa carta registrada com o dossiê do Levy? Em suas mensagens o senhor afirma que a mesma está assinada também por outros conselheiros. Quem seriam esses outros conselheiros? O senhor saberia me dizer o porque eles não apresentaram a denúncia no Conselho da Santa Casa, que é o fórum onde eles atuam e que existe para apurar essas coisas, ao invés de mandar a você e pedir sua ação?

Luiz Polaco -O dossiê me foi enviado por alguns irmãos, através de um oficio, o qual, me pediram para não serem identificados, “por enquanto”, porque tendo acesso a Provedoria e ao Plano de Saúde, iriam passar por constrangimentos, nesses locais, e perderiam as fontes que se lhes têm prestado as informações, correndo o risco os informantes, por outro lado, que são funcionários do hospital e do plano de saúde, de serem demitidos pelo Augusto Capodicasa.  Eu tenho que honrar a confiança que eles me depositaram. Ademais, me disseram eles, nesse oficio, que enviaram cópias desse dossiê para outras pessoas e autoridades. Não sei dizer, porém, se isso aconteceu. Como verifiquei que os documentos que instruíram o dossiê eram verdadeiros, somados esses fatos a outros que eu já tinha conhecimento, a fim de exonerar-me  da responsabilidade dessas irregularidades  que não tinha conhecimento oficialmente e nem participei, e para não ser acusado, futuramente, de omisso ou conivente, resolvi, então, fazer a representação e encaminhá-la ao Presidente do Conselho Deliberativo, que me elegeu, a quem competirá tomar conhecimento e adotar as medidas que se fazem necessárias.

Percebam que, apesar de não ter o sobrenome “Peres”, Polaco se contradiz quase na mesma quantidade de vezes que o atual presidente do Santos FC. Primeiro diz ter recebido por carta registrada, depois por ofício. Percebam também que a preocupação dele com as denúncias do fantasma e se “salvaguardar” e não defender a Santa Casa, que deveria ser a missão do vice-provedor. Nas respostas, Polaco assume que, quando o assunto é Santa Casa, é primeiro os interesses dele, depois os de seus familiares e amigos, e por último, se sobrar tempo, vêm os interesses do hospital.

Nossa próxima reportagem é sobre Augusto Capodicasa, o “Deus da Santa Casa” onipresente em todos os lugares e que recebe pelo menos, dois salários do hospital.

A conferir.