Carlos Ratton

Sob o comando dos tucanos Alberto Goldman e Geraldo Alckmin o Governo do Estado de São Paulo destinou mais de R$ 3,5 milhões às empresas de João Doria, atual candidato ao governo paulista. Esses recursos bancaram eventos dedicados a empresários e políticos promovidos pela Doria Associados e também pagaram anúncios em revistas publicadas pela Doria Editores. As informações são do Portal da Transparência do Estado.

Só em 2015, ano em que o empresário já era tratado como pré-candidato a prefeito de São Paulo, esses anúncios renderam o equivalente a R$ 2 mil por dia. Somados, esses R$ 3,5 milhões destinados a Doria seriam suficientes para construir 30 casas populares, 12 creches ou comprar 60 viaturas para a Polícia Militar.

Caviar

Só a Revista Caviar, mencionada pelo atual governador e candidato à reeleição Márcio França (PSB) durante os debates, destinada a exibir i estilo de vida dos milionários de São Paulo, recebeu R$ 501 mil em anúncios do Governo do Estado, justamente quando Doria se apresentava como “gestor” visando a disputa pela Prefeitura De São Paulo.

Os recursos públicos também serviram para quitar anuidades da Desenvolve São Paulo com o Grupo de Líderes Empresariais (Lide), frente que se presta a fazer lobby, reunindo empresários e políticos ocupantes de cargos eletivos nos governos estaduais e federal.

Ao lado

Nesse período, Doria posou ao lado da ex-presidente Dilma Rousseff e de outras lideranças do PT, além do presidente Michel Temer e de tucanos como Geraldo Alckmin, Aécio Neves e Beto Richa, preso recentemente em ação do Ministério Público do Paraná que apura suposta lavagem de dinheiro, direcionamento de licitações e recebimento de propinas.

O último recurso recebido pelas empresas de Doria foi no começo de maio, menos de um mês após Márcio França assumir o Governo de São Paulo no lugar de Geraldo Alckmin. A Desenvolve São Paulo, que bancou parte desses eventos, é a Agência de Desenvolvimento Estado e tem como missão oferecer operações de crédito para pequenas e médias empresas paulistas.

Até às 19h30, horário de fechamento da reportagem, o Blog Santos em Off aguardou um posicionamento da assessoria de João Dória, mas não houve retorno. Os contatos também foram realizados via Assessoria de Imprensa da Lide, do Grupo Doria e do PSDB. A coordenadoria da Baixada Santista da candidatura de Doria também foi contatada.