Mesmo após a eleição da Santa Casa, que terminou com o advogado Elias Francisco da Silva Júnior levando uma lavada de 25 a 1, este blog continua recebendo muitas denúncias contra Elias Júnior e suas ações no CAMPS.

Posando de bom moço e de excelente administrador, Elias Júnior se tornou presidente do CAMPS graças a um golpe idealizado por seu pai Elias Francisco da Silva (à época presidente do Conselho do CAMPS e hoje seu “diretor funcionário”) e pelo seu aliado Watson Uiliana Travassos (atual presidente do Conselho do CAMPS e “pasmem” governador eleito do distrito 4420 do Rotary Club de Santos), mais conhecido por Watson dos presídios da Engetal Engenharia.

Elias Jr e Watson Uiliana, dos Presídios da
Engetal, futuro Governador do Rotary e presidente do Conselho do CAMPS
Antecessor de Elias no CAMPS, João Henrique da Silva

O antecessor de Elias no CAMPS era João Henrique da Silva (foto), uma pessoa bem relacionada, proba, que fazia uma gestão de austeridade no órgão, investindo de fato na capacitação dos jovens atendidos na entidade. Uma das preocupações de João Henrique da Silva era com a área do CAMPS, que se trata de terreno da União, administrado pela Secretaria do Patrimônio da União (SPU), assim como é o CT Rei Pelé, parte da Portuguesa Santista, e outras áreas de Santos. O CAMPS sem sede era refém do presidente da República da vez, podendo ser despejado a qualquer momento, e João Henrique atento a isso, começou a fazer caixa a fim de comprar terrenos e construir uma sede pra entidade de propriedade do próprio CAMPS. Para tanto, fazia economia e comprava terrenos. Chegou a adquirir um ao lado da sede atual do CAMPS para fazer um edifício e a austeridade financeira administrativa conduzida por João Henrique da Silva chegou a guardar nos cofres da entidade cerca de R$ 20 milhões.

João Henrique economizou R$ 20 milhões no CAMPS para fazer uma nova sede

De olho no cofre da entidade e querendo dar o primeiro passo para realizar o sonho do filho de ser um dia prefeito de Santos, o contraventor (explicaremos mais abaixo), Elias Pai, presidente do Conselho do CAMPS à época, com apoio irrestrito do atual governador eleito do Rotary Club Distrito 4420, Watson Uiliana Travassos, aproveitaram uma viagem de férias de João Henrique da Silva (foto) e na surdina deram um golpe o destituindo da Presidência do CAMPS e chamando novas eleições onde Elias Jr foi eleito presidente da entidade, com Watson dos Presídios na presidência do Conselho, e com Elias Pai como diretor de Patrimônio, este último dizem ser até remunerado no CAMPS, já que passa o dia na entidade.

João Henrique da Silva chegou de viagem sem ter mais o CAMPS como local de dedicação de seu tempo. Se sentiu traído, principalmente por Watson dos Presídios, alguém com que ele manteve excelentes relações, inclusive no Rotary Clube, onde também João Henrique da Silva dedicava seu tempo ao próximo.

Com R$ 20 milhões em caixa e com o poder em uma das entidades mais queridas da Baixada Santista, Elias Jr foi às compras para fazer de sua presidência na entidade um trampolim para chegar ao Palácio José Bonifácio, da Praça Mauá Sem Número, sede da Prefeitura de Santos.

Alguém leu essa revista?

Contratou uma das assessorias de imprensa da Cidade, produziu jornais, revistas e outros impressos, reformulou site, imprimiu milhares de agendas ano a ano, tudo com muitas, mas muitas fotos do presidente Elias, chegando em alguns impressos a aparecer mais que os jovens carentes em busca de capacitação profissional, razão de ser do CAMPS. Inclusive, segundo informações que foram passadas ao blog, investiu em uma matéria paga de capa na Revista Mais Santos(foto). Tanta autopromoção de Elias chega a transformar em irrisórias denúncias similares de autopromoção que aconteceu na OAB Santos no passado.

A pergunta que fica é: Pra que tanto papel? A resposta é que, segundo funcionários do CAMPS e patrulheiros, todo esse material é impresso sob o comando de Elias Pai, que junto com o filho, é proprietário da Sangraf Serviços Gráficos, gráfica de Santos que está tão abandonada que tem clientes que reclamam no Google que ligam para o telefone da empresa e ninguém atende. É claro que não atendem, afinal Elias Pai e Jr passam o dia todo dentro do CAMPS, cuidando da galinha dos ovos de ouro e imprimindo muito papel e desfilando de carro oficial pelos quatro cantos de Santos.

Elias Jr ensina os jovens patrulheiros a sambar?

A farra com o dinheiro dos patrulheiros é tanta que Elias Jr investiu, sabe-se lá quanto e de onde, para que o CAMPS seja enredo da Unidos dos Morros no Carnaval 2020 de Santos. No que ser enredo do Carnaval ajuda o aprendizado dos jovens da entidade? Ao meu ver, só alimenta o ego já inflado de Elias que na foto ao lado está com “jovens aprendizes” no samba.

Vendo os R$ 20 milhões economizados por João Henrique da Silva ir pelo ralo com sua gastança desenfreada, Elias Jr tentou se eleger provedor da Santa Casa de Santos, de olho no sucesso que Ariovaldo Feliciano conseguiu no hospital com uma gestão de austeridade financeira e administrativa. Elias Jr já disse a amigos que quer ser presidente do CAMPS, depois assumir a provedoria da Santa Casa e sair candidato a prefeito de Santos até 2024.

Um sonho muito alto para quem sequer conselheiro da Santa Casa se elegeu… Importante frisar que para disputar o poder na Santa Casa, Elias se aliou a gente do porte de Luiz Polaco (vice-provedor que renunciou após esse blog comprovar o abuso de poder feito por ele no hospital), José Francisco Paccillo (o advogado mais “cricri” de Santos), José Geraldo Gomes Barbosa (o tio renegado do prefeito Paulo Alexandre), Watson dos Presídios Rotarianos, o velhinho argentino do Memorial cujo nome não me recordo e outras figuras cuja a fama já é conhecida na Cidade. Com aliados desse nível, e gastando dinheiro das entidades que administra de maneira avarenta como faz no CAMPS, Elias não chegará mais longe nesse seu sonho doentio de poder.

A pergunta que fica é quem imprimiu as milhares de agendas do CAMPS que Elias Jr distribuiu por toda Baixada Santista, inclusive aos membros do Conselho Geral da Santa Casa, como se fosse um panfleto? Será que foi a Sangraf, empresa de seu pai que Elias também é sócio?

Elias Jr com seu pai contraventor recebendo o Top Of Mind de A Tribuna, pago com dinheiro do CAMPS

Contraventor condenado
Chegou ao conhecimento da coluna a existência de dois processos de números 583.50.2001.063312 e 05001063312000-0 onde Elias Francisco da Silva, pai de Elias Jr e diretor do CAMPS que passa o dia junto dos patrulheiros e jovens aprendizes, é condenado com transito em julgado desde 2002, pelos artigos 294, 299 e 301 do Código Penal. Parece que Elias Jr imprimiu documentos falsos diversos em sua gráfica. Como os processos são de 2001, antes de digitalização da Justiça, não conseguimos apurar a realidade total dos fatos, pois os documentos não estão todos presentes nos autos digitais. Mas, convenhamos, é um absurdo o CAMPS ter em seus quadros que ficam o dia todo com jovens aprendizes alguém condenado por contravenção desse tipo. Será que pai e filho estão unidos na contravenção?

Pior é que Elias Jr em suas entrevistas afirma administrar com boas práticas de gestão e com compliance. O compliance do Camps, não envolveu Elias Pai porque era pai do Presidente? Sendo parente do presidente qualquer condenado por contravenção pode atuar junto a formação de jovens patrulheiros? No Camps, o presidente tem o pai na diretoria e o presidente do Conselho tem a mulher como membro do Conselho que preside. Nepotismo puro que não passa em nenhum compliance sério. Elias Jr é mais um santista cujas ações contradizem, quase que totalmente, seu discurso. Pena.

Elias Júnior é uma dessas pessoas que se utilizam das entidades de servir para promoção pessoal. Só ler o Jornal A Tribuna desta quarta-feira (29). Está publicado em ¼ de página o anúncio abaixo dos Rotarys homenageando Elias Jr com um desses prêmios que são comprados na entidade. Porque os títulos no Rotary, em sua maioria, são sim comprados por doações para a fundação rotária. Essa gente, que usa o dinheiro sagrado das entidades de servir para promoção pessoal, como esse anúncio em A Tribuna, jamais deveria postular cargos relevantes na Cidade.