Coluna “Política Em ON” -Bastidores do Poder na Baixada Santista- 19/09/2020

Recorde
Santos será a Cidade com mais candidatos a prefeito na Baixada em 2020: 16 coligações apresentaram representantes. Com certeza um número recorde.

Só Banha
A surpresa é que apenas um deles ocupa cargo público eletivo: o vereador Antonio Carlos Banha Joaquim-foto (MDB).

Divulgação

Da antiga
Fora Banha, apenas Bayard (PTB), vereador nos anos 90 em Santos, e Cascione (Pros), ex-deputado federal, ocuparam mandatos eletivos. O restante nunca foi eleito. Entre todos, metade (oito) nunca sequer disputou uma eleição.

Vice conhecida
A candidata a vice mais conhecida é do PSOL. Eneida Koury disputou a Prefeitura de Santos pela legenda em 2008 e 2012 sendo bem votada. Agora o partido aposta em Guilherme Prado (coordenador do Livres Baixada Santista- Rede de Produção e Consumo Consciente), na cabeça, com Eneida na retranca.

Mistérios
Três partidos não definiram os candidatos a vice. O Avante, cujo candidato a Prefeito é Carlos Paz, o Cidadania, cujo candidato a prefeito é o diretor de Teatro Tanah Corrêa, e o PCdoB, cujo candidato é o empresário Thiago Andrade.

Até dia 26
Todos os partidos prometem definir seus nomes a vice até o dia 26.

Poderes repassados
O advogado eleitoral Rogério Mehanna explicou à coluna que o período das convenções chegou ao fim. Mas que os partidos podem delegar a definição do candidato a vice ao candidato a prefeito ou a Executiva do partido/coligação.

Tentou
O PSD de Ivan Sartori –foto- tentou até o último minuto convencer Vicente Cascione (Pros) a ser seu vice. Tentou em vão. Cascione vai para a disputa.

Reprodução

Gafanhoto?
Aliás, o ex-desembargador e ex-presidente do Tribunal de Justiça de SP diz ter saudades da Santos de outrora e afirma ter chegado à Cidade em 1994. Direitista assumido, acusa os governos de esquerda de acabar com a Cidade. A coluna queria entender qual Santos de outrora Sartori se refere. Afinal, ele chegou aqui na época do governo do Capistrano, do PT. Será que Sartori é um daqueles gafanhotos que o ex-prefeito Oswaldo Justo costumava citar sempre? É o primeiro caso de gafanhoto santista de direita?

Não cumprimentou
Sartori tem sido questionado em suas redes sociais e não tem respondido o motivo que o fez passar por um morador de rua e não cumprimentá-lo em um dos vídeos de sua campanha. Alguns internautas perguntaram se ele não gosta de pobre…

Promete vídeo
À boca-pequena, a campanha de Sartori promete para o dia 27 deste mês soltar um vídeo do presidente Jair Bolsonaro pedindo votos ao desembargador. Será que o desembargador Siqueirinha, do caso da máscara e da GCM, também declarará voto em Sartori?

Bozos se organizando
Aliados de Bolsonaro estão se organizando na Baixada Santista. A coluna descobriu essa página recém-criada intitulada Verdadeira Direita Conservadora da Baixada Santista, no Facebook https://www.facebook.com/VerdadeiraDireitaConservadora. Mas Jair Bolsonaro está em baixa. Menos de 50 pessoas curtiram.

Puro Sangue
Quem há um ano diria que Paulo Alexandre Barbosa iria conseguir montar uma candidatura a prefeito e vice “puro-sangue tucano” para sua sucessão? Não se pode duvidar da capacidade política de Barbosa.

Não tão puro
A verdade é que a chapa não é tão pura do PSDB assim. Rogério Santos, o candidato a Prefeito, antes de ser leal ao PSDB é leal a Paulo Alexandre Barbosa. E o que dizer da candidata a vice, Renata Bravo (foto), presidenta do PSDB em Santos atualmente e secretária particular de Barbosa. Como a fidelidade partidária não atinge os cargos executivos, se Barbosa sair do PSDB, ambos podem “destucanar” sem problemas.

Reprodução

Menos candidatos
Há indícios claros que o ninho do tucanato santista será abandonado. A chapa do PSDB para vereador tem apenas 22 candidatos, podendo ter 32. A desculpa foi a falta de mulheres candidatas. Estranho é que só o PSDB, partido do governo, não conseguiu completar a cota de mulheres entre as legendas grandes. Aliás pela primeira vez da história do partido na Cidade.

Olhos abertos
O primeiro a perceber a movimentação de Barbosa foi o vereador Sadao Nakai (foto) que desistiu de lançar sua candidatura à reeleição, deixando ainda mais órfão de votos a chapa de vereadores do PSDB. Quem diria que o japonês abriu o olho.

Reprodução

Fica um
A verdade é que na chapa do PSDB, a briga deve ser entre Ademir Pestana, Manoel Constantino e Cacá Teixeira por uma única vaga que os tucanos devem fazer. Se derem muita sorte fazem duas. O vereador Augusto Duarte e o ex-vereador Braz Antunes correm muito por fora.

Todo poderoso
O vereador que ficar no PSDB em primeiro lugar pode acabar sendo o principal representante da Cidade junto ao Governo de João Doria no Estado por quase dois anos. Um cargo que tem um peso gigantesco.

Barco do PP
A verdade é que Paulo Alexandre e sua trupe estão ensaiando rumarem para o Partido Progressista após a eleição. Por isso, a chapa de vereadores do PP tem três vereadores governistas de carteirinha: Adilson Júnior, Audrey Kleys e Zequinha Teixeira(foto). Apenas Audrey foi eleita pela legenda e todos acabaram no PP por indicação de Barbosa.

Reprodução

Real motivo
O embarque em 2021 do Jumbão de Paulo Alexandre no PP é o real motivo da desistência do Professor Kenny de ser candidato em Santos. Afinal, vai dobrar na Baixada toda com Barbosa, que deverá ser candidato a Federal pelo PP. A vinda de Barbosa agrada o dono da legenda no Estado, Guilherme Mussi, que é padrinho político de Kenny e conta com os votos de Barbosa para sua chapa de deputados, garantindo sua reeleição também.

Pode tudo
A verdade é que Paulo Alexandre, após entregar a Ponta da Praia, o Mercado de Peixe novo, o novo Centro de Convenções, as escolas e UPAS que estão sendo inauguradas, e ainda o fim da obra da entrada da Cidade, dificilmente não conseguirá eleger seu sucessor.

Cascione voltou
Sem disputar uma eleição há 10 anos (a última foi a disputa para a Câmara em 2010), o ex-deputado federal Vicente Cascione(foto) será candidato a Prefeito de Santos pelo PROS.

Reprodução

Quarta vez
Será a quarta vez que Cascione disputa o Palácio José Bonifácio. Em 1992, então no PDS (atual PP) perdeu no segundo turno para Davi Capistrano (PT). Em 2000, no PTB, Cascione ficou em terceiro. Posição que repetiu em 2004 pelo mesmo partido.

Entregou para o Beto
Muitos antigos lembram que Cascione tinha recall para tentar ser prefeito em 1996, principalmente após ir para o segundo turno em 1992 e se eleger deputado federal em 1994. Mas, cumpridor da palavra, disse que ficaria os quatro anos na Câmara se eleito e assim o fez. A decisão praticamente deu a Prefeitura para Beto Mansur em 1996. Há quem garanta que, se Cascione tivesse na disputa, ninguém tiraria dele.

Vice atrapalha
A única coisa que atrapalha a candidatura de Cascione é seu vice: o contestado Décio Couto Clemente.

Benção pesada
Antonio Carlos Banha Joaquim é mesmo candidato a Prefeito pelo MDB, surpreendendo a todos que duvidavam das intenções dele, vereador há seis mandatos. Tem como vice o advogado José Roberto Chiarella. A chapa recebeu as bênçãos do medebista histórico, o advogado Écio Lescreck (foto). Membro forte da Maçonaria, Lescreck foi secretário de Justo e Beto Mansur e é presidente de honra do MDB santista. Além disso, é o atual presidente do Conselho da Santa Casa de Santos. Um homem muito respeitado.

Reprodução

Supercandidata
A chapa do MDB está completa e tem mulheres com muitas chances. Uma dela é a Tia Edna Souza (foto), professora, coach e escritora. Seu foco será a educação. Promete surpreender.

Reprodução

Patrocinador do vice
Candidato do PTB a prefeito de Santos, o empresário Bayard Umbuzeiro resolveu facilmente seu vice. Chamou o ultramaratonista Walmir Nunes para a chapa pura. Vale lembrar que a Transbrasa patrocinou por muito tempo o maratonista. Assim como o Memorial, de Pepe Alstut, presidente de honra do PTB santista.

Ex-Collor
Pra quem não lembra, Bayard (foto) foi vereador em Santos de 1989 a 1992 tendo integrado o PRN de Fernando Collor por onde tentou se eleger Deputado Federal em 1990.

Reprodução

Câmara À vista
O sonho de Bayard é ser deputado federal. Quer usar a visibilidade desta eleição para se viabilizar em 2022. Bayard tentou a Câmara em 1990 (PRN) e em 1994 (PFL – Atual Democratas). Bolsonarista assumido, será que em 2022 ele ainda estará no PTB?

Aerotem no morro
O desportista Marcelo Coelho é o candidato do PRTB, o partido de Levy Fidélix, a prefeito de Santos. Organizador da Descida de Bicicleta dos Morros de Santos, será que Coelho vai prometer instalar o Aerotem de Fidélix nos Morros? Vale lembrar que a população dos Morros aguarda até hoje os teleféricos prometidos por Beto Mansur e Paulo Alexandre Barbosa.

Promete endireitar
O PRTB tem uma boa chapa de candidatos a vereadores. Um dos destaques é o despachante aduaneiro Luiz Leite(foto). Conservador, promete endireitar a Câmara de Santos.

Reprodução

Laranja da vez
Ao que tudo indica o candidato do Democrata Cristão a prefeito de Santos, Delegado Romano, é o laranja da vez dessa eleição. Sem direito a participar de debates, o DC recebeu de última hora o apoio e coligou com o Solidariedade, que tem 12 deputados federais e é liderado pelo Paulinho da Força. O SD estava fechado com a coligação de Rogério Santos. Aguardemos!

PT vazio
Pela primeira vez na história o PT vai disputar sem coligação para a Prefeitura de Santos. O advogado e jornalista Douglas Martins, ex- secretario adjunto de Igualdade Racial do Governo Lula, é o escolhido tendo como vice Aurélia Rios.

Pauta trabalhista
Quem está crescendo muito nas redes sociais é o apoio à candidatura PDT de Santos. O partido terá novamente candidato a prefeito, como teve em 2016. O nome da vez é o médico sanitarista Marcio Aurélio Soares (foto), tendo como vice a professora Maria Cecília Cravo Dias. Promete ser o nome da esquerda mais votado.

Reprodução

Mentira
O ex-vereador Rafael Ambrósio (PT) desmentiu a coluna que estaria apoiando candidatos de fora da legenda. O urbanista garantiu estar pedindo votos para os vereadores Telma de Souza e Chico do Settaport, e também para o Coletivo Santos Progressista, candidatura coletiva do partido com o professor Danilo Alves, o jornalista e músico Julinho Bittencourt mais Mari Dias e Cristina Biz.

Verde Demo
Desde 1996, quando lançou o jornalista Gilson Miguel como candidato a Prefeito, o PV não disputa o Palácio José Bonifácio. A legenda, comandada por Mário Bernadino na cidade, vai ter como candidato a prefeito o jornalista e consultor Moysés Fernandes. Veterano em eleição, Moysés não é Puro Verde. Na eleição de 2016 foi candidato a vice, pelo Democratas, na chapa de Marcelo Del Bosco (Cidadania). Em 2012, foi candidato a vereador pelo PSDB. Pelo visto a cor muda conforme a ocasião. Não me parece coisa de político verde.

Será teatro?
O Cidadania, partido que ficou em quarto lugar para prefeito de Santos em 2016 com mais de 11 mil votos para Marcelo Del Bosco, decidiu por Tanah Corrêa, diretor de teatro e pai do global Alexandre Borges, como seu candidato a prefeito. Corrêa está longe da política desde a década de 80, quando foi secretário de Cultura do governo Oswaldo Justo. Como ainda não tem candidato a vice, tem gente achando que essa candidatura é puro teatro. Será?

Comunistas de novo
Pela segunda vez o PCdoB terá candidato a prefeito em Santos. Em 2016, a ex-presidente da UNE, Carina Vitral, ficou em segundo lugar com 11% dos votos. Em 2018, Carina abandonou sua cidade-natal e será candidata a vereadora em SP em uma candidatura coletiva de mulheres. Foi substituída pelo ex-presidente da União Paulista dos Estudantes Secundaristas (Ubes), Thiago Andrade. A pergunta que não quer calar… Se tiver candidato a prefeito em 2024, o PCdoB vai lançar algum ex-presidente da USEPG-União Santista dos Estudantes de Primeiro Grau?

Mais uma vez
Eterno candidato do PSTU, o funcionário público Luiz Xavier vai tentar de novo.

Sumiu
E o eterno candidato Nelson Rodrigues, da ONG SOS Orquidário, ao qual é o único membro? Será candidato em 2020? Pelo PV, PSL, por onde?

Novo como?
Alguém sabe dizer como será o desempenho da candidatura de João Vilela, da Design Gallery, pelo Partido Novo?

Só em Santos…
A disputa a prefeito de Santos tem de tudo: dono de loja de utensílios domésticos, dentista concursado de Cubatão, delegado florista, dirigente estudantil, juiz que ganha 10 vezes mais que o prefeito, médico dono de pousada, empresário de retroporto no meio da cidade (por onde circula seus caminhões), organizador de eventos nos morros, ex-ministro do Lula, e ex-líder do governo Lula. Tem coisa que só em Santos mesmo…

Forte nos Morros
A verdade é que a Zona 118 (Centro, Morros e Zona Noroeste) está tomada por Paulo Alexandre Barbosa, que desabrigou o PT de Telma de lá. Graças a um bom trabalho de Rogério Santos e do vereador Lincoln Reis, o dono dos morros de Santos.

Heimdall
Atual Secretário de Serviços Públicos de Santos, o servidor de carreira Wagner Ramos, é o principal gestor da obra da Entrada da Cidade. A missão o rendeu o apelido de Heimdall (ilustração). Para quem não sabe o significado do apelido, basta ler os quadrinhos ou ver o filme de Thor. Heimdall é o Guardião da Ponte do Arco Íris, ou Bifrost. O apelido faz referência à iluminação do novo viaduto da entrada da Cidade.

Reprodução

Ficha limpa
Após cumprir por quase quatro anos a missão de Secretário de Gestão do Município, o vereador Cacá Teixeira–foto- (PSDB) retornou à Câmara e vai disputar a reeleição. Defensor da política limpa e solidária, Cacá é autor da Lei do Ficha Limpa do Município e defensor da austeridade pública. Sua campanha vem forte na maçonaria (onde é presidente do Congresso Nacional Maçom), Santa Casa (onde é o atual vice-provedor), Casa da Criança (onde presidiu por anos) e na Escola de Samba X-9 (que também presidiu).

Reprodução

Apoios pesados
Cacá conta com o apoio do prefeito Paulo Alexandre, do ex-prefeito João Paulo Papa, do provedor da Santa Casa, Ariovaldo Feliciano (foto), e de tucanos históricos e mesmo integrantes de outras legendas. A tendência é Cacá abocanhar boa parte dos eleitores de Sadao Nakai, que não irá a reeleição e também deve apoiar o colega de Câmara.

Reprodução

Vinagre certo
Outro pré-candidato do MDB que promete é o fotógrafo e militar aposentado Luiz Vinagre. Bem articulado, Vinagre é uma das esperanças de Banha na chapa.

Saiu pra campanha
O secretário de Paulo Alexandre Barbosa, Rafael Leal (foto) tirou férias e depois pediu exoneração do cargo. Leal está atuando na campanha de Rogério Santos. Organizador de eventos e especialista em marketing, a presença de Leal imprime profissionalismo na campanha do candidato oficial do governo.

Reprodução

Bom substituto
Para o lugar de Leal, foi nomeado como secretário de Cultura o funcionário de carreira, Wellington Lima. Querido por todos da pasta, Lima é um substituto tão bom quanto Leal, e tão leal quanto.

Obra sem fim
Está gerando um rebuliço a obra da piscina do Tênis Clube de Santos. A obra, que acabou com o único trampolim acrobático da Cidade, já dura quase um ano e somente agora descobriram mais uma infiltração nas laterais, após ela estar quase pronta.

Ligação seca do Tênis
Entre os sócios do Tênis Clube, a obra da piscina já está sendo chamada de lenda urbana do nível da ligação seca Santos-Guarujá.

Conselho de olho
Conselheiros e associados do Tênis Clube articulam um pedido de explicações à diretoria presidida por André Del Bosco Amaral. Todos achando muito estranho a demora da obra que tem sido feita por uma das empresas mais especializadas do país.

Amado no Postinho
Kayo Amado, do Podemos vicentino e segundo colocado no pleito de 2016 (na época estava no Rede), escolheu no Democratas sua vice: Sandra do Postinho. Com as bênçãos do deputado estadual Paulo Corrêa Júnior.

Gouvêa na aula
O atual prefeito Pedro Gouvêa (MDB) decidiu não mexer no seu time e sua vice continua sendo a Professora Lurdinha, do PSB, do cunhado Márcio França e do sobrinho Caio França.

Solange no Conselho Tutelar
Candidata de João Dória nas terras de França, a jornalista Solange Freitas escolheu o vereador Gil do Conselho como seu vice. O tucanato vicentino vai pra briga com força no Conselho Tutelar.

Bili voltou para ficar?
Ex-prefeito surpresa de 2012, Luiz Cláudio Bili (foto) vai tentar voltar a Prefeitura calunga pelo PTB. Seu vice é o Tenente PM Márcio André da Silva.

Reprodução

Vai repetir?
Os jornalistas esperam que Bili refaça nos debates o que fez em 2012 quando promoveu embates inesquecíveis com Caio França.

Vai repetir 2?
O PSD vai lançar o advogado Luiz Gianelli a prefeito Calunga. Será que Gianelli terá maior sucesso nas urnas vicentinas que em 2018, quando teve apenas 1.451 votos na Cidade para deputado estadual?

Hidelbrando de vice
O prefeito Ademário Oliveira (PSDB) escolheu como vice o vereador Ivan Hidelbrando (PSB) juntando na mesma coligação o PSDB de Doria e o PSB de Márcio França. Haja habilidade política.

PSOL vem forte
A oposição mais forte que Ademário terá é do PSOL. O sindicalista Fabio Mello será candidato e promete soltar o verbo.

Toninho só
O vereador Toninho Vieira, do PP, ainda não definiu seu vice. Está com sérias dificuldades em conseguir atrair outras legendas.

Máquina resolve
Com Vieira atrapalhado e só e com o PT na briga, a máquina deve resolver facilmente a eleição para Ademário Oliveira.

Quarto mandato
Mauro Dedemo Orlandini tentará seu quarto mandato na Prefeitura de Bertioga pelo PSL com total apoio do deputado federal Júnior Bozzella e a forte assessoria do jornalista Rodolfo Amaral, seu parceiro de longa data.

Goulart voltou
A família Goulart voltou ao cenário político de Bertioga. Após o médico Layrton governar duas vezes a Cidade, agora sua sobrinha, Lucília Goulart (foto) disputará o cargo de prefeita da Cidade mais nova da Baixada.

Reprodução

Três famílias na disputa
Com a presença de Lucília, três famílias de prefeitos disputarão o pleito. Os Orlandini, os Goulart e ainda o atual prefeito Caio Matheus (PSDB).

Turco louco
Kaled Malat, do Democratas Cristão, segundo colocado em 2016, vai tentar mais uma vez ser prefeito de Bertioga.

Herói de Doria
O advogado André Guerato está sendo chamado em Guarujá de Herói do João Dória. Afinal será o candidato do tucanato contra o Jumbão do PSB, articulado pelo prefeito Valter Suman com apoio do ex-governador Márcio França, desafeto de Dória.

Chapa dos Madi
O ex-prefeito Farid Madi (foto) e a ex-deputada Haifa Madi decidiram não saírem candidatos. Mas articularam a chapa Miguel Calmon (PRTB), que foi vice de Haifa em 2016, e Gilberto Benzi (PSL), quase eleito deputado estadual em 2014.

Reprodução

Olhar feminino
Praia Grande é a cidade com mais candidatas a prefeita da Baixada. São três: Raquel Chini (PSDB), candidata do prefeito Alberto Mourão, a vereadora Janaina Ballaris (PL) e Erika Pedrosa (PRTB). Todas querem ser a mãe de Long Beach. O papai já é Mourão.

Pelas beiradas
Enquanto a mulherada briga, o vereador e delegado Alexandre Comin confirmou sua candidatura a Prefeito e está liderando as pesquisas na Cidade, correndo pelas beiradas. Será o fim da dinastia Mourão em Praia Grande?

Baixinho junto
Comin tem o apoio declarado do senador Romário (foto). Ele mesmo, o campeão do mundo em 1994.

Reprodução

Karan na Câmara
Com a decisão de Comin, Carlos Karan disputará a Câmara da Praia Grande pelo Podemos tendo chances de ser o mais votado no Município.

Cunha, de novo?
Alexandre Cunha também tentará de novo a Prefeitura de Praia Grande. Desta vez pelo Republicanos. Já tentou pelo PT, PP e outras legendas.

Cabeça forte
Quem diria que o prefeito Márcio Cabeça, de Mongaguá, estaria com reais chances de reeleição após ser afastado pela Justiça e pela Câmara junto com o ex-prefeito Arthur Parada Prócida? A aliança com Rafael Redó (Dem), seu candidato a vice, e com o ex-prefeito Paulo Wiazowisk (PSD) dá chances reais de reeleição do candidato do Republicanos.

Casabranca quer voltar
Prefeito no mandato tampão no afastamento de Arthur e Cabeça, o vereador Rodrigo Casabranca é a aposta do PSDB em retomar o Paço da Cidade. Será que os tucanos conseguirão sair limpos dos escândalos que ocorreram no Município?

Ganhou do Lula
Marcelo Strama vai tentar novamente ser prefeito de Itanhaém pelo PSB. Será que agora vai? Ele disputou mais vezes a prefeitura local que Lula disputou a presidência do Brasil…

Forssell segura
A candidata Cris Forssell (foto), do Podemos, está firme e promete ser a surpresa na Cidade. Segura ela está com o vice Coronel Xerez.

Reprodução

Cervantes com a máquina
O vice-prefeito Thiago Cervantes (PSDB) vai tentar mudar de sala do Paço com a máquina a seu favor. Será que dará certo?

Luiz Maurício forte
Em Peruíbe ninguém duvida da reeleição do prefeito Luiz Maurício, do PSDB. Sua aceitação anda bem com a população.

Sem Bargieri
Prova do sucesso de Maurício é que os Bargieris, Gilson e Milena, ex-prefeitos da Cidade, não serão candidatos nessa eleição

A conferir!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*