Coluna: “O Melhor da Vida” – Quebranto

Reprodução

(*) Valdir Alvarenga

Olho seca-telha,
seca-pimenteira,
olho gordo,
olho grande,
olho grosso,
olho mata-pinto,
olho ruim,
mau olhado,
traz feitiço ,
faz fascínio”
Benza-os Deus,
olhos não são maus
“Colhida a fruta,
a árvore apodrece
guiné dá alarme,
aguça o cheiro,
Contra ti haja oração ,
patuá, amuleto,
talismã, escapulário,
carântula, meia -luafiga…
Isola !
Pé de pato, mangalô três vezes
“Não te receio! Tenho jesus cristinho.

Reprodução

(*) Valdir Alvarenga é poeta

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*