Na Coluna desta semana, você vai saber os bastidores da desclassificação do Peixe na Copa do Brasil e detalhes da política do Santos FC.

Revoltante

Demorei para fechar a coluna dessa semana para fazer de cabeça fria. E confesso que não esfriou. É revoltante ver o Santos ser eliminado de tudo por erros administrativos e decisões infantis de campo. É lamentável.

A culpa não é minha

Pior é ver o presidente culpar a CBF, os jogadores, a torcida, o técnico, até para o VAR sobrou. Ele não assume suas culpas. Vamos elencar as culpas de José Carlos Peres que ele esquece. Ao fim, percebam se ele não precisa checar se ele não está bem de saúde. Com a palavra, os doutores…

A culpa é sua 1

Quem definiu os ingressos a R$ 90,00 para um jogo decisivo, com a desculpa de fazer renda? Foi a CBF ou foi Peres? Claro que foi o presidente centralizador. Essa decisão revoltou pelo menos três integrantes do Comitê de Gestão, que falaram com a coluna, dizendo que não opinaram nisso. Isso foi decisivo para o público pífio de pouco mais de 15 mil pessoas. A torcida fez falta, porque com esse preço, não foi convidada para ir. Aliás, foi convidada pelo presidente em um vídeo, no mínimo, patético que deveria causar a demissão de todos da Santos TV por ir ao ar. Se a torcida não foi, a culpa foi do presidente.

A culpa é sua 2

Quem não planejou os jogos para cumprir os 50% na Vila e 50% no Pacaembu? Foi Peres, lógico. Prova disso é que o jogo era na Vila, ele mudou pro Pacaembu, depois mudou pra Vila e a CBF vetou com base no regulamento. Se a gestão de Peres é tão profissional, porque não viu isso antes? Quem deveria decidir isso? Peres, Frazão ou Sampaoli? A verdade é que o último que deveria ser mais ouvido, não é? Já disse que quer jogar na Vila. O mando de campo é decisão técnica, de marketing ou presidencial? É óbvio que deveria ser técnica. Se foi no Pacaembu e perdemos a culpa é de Peres!

A culpa é sua 3

Os salários foram pagos no dia do jogo. Era o quinto dia útil. E Peres fez questão de vazar para a imprensa, para dar a impressão que os atletas são mercenários e precisam receber pra jogar. E nada de pagar o direito de imagem e os bichos. Decisão administrativa equivocada. Tomada por quem? Pelo presidente centralizador.

A culpa é sua 4

Pra finalizar a situação de Rodrygo. Peres o desconvocou dizendo ao atleta que tinha acertado isso com a CBF. Disse após o jogo do Ceará. Mentiu ao atleta que está muito insatisfeito com isso, pois o colocou em conflito com a Seleção. Todos sabem que o desejo da CBF é ganhar a Olimpíada de 2020 e manter no Brasil a medalha de ouro. Para isso contratou o ex-tecnico do profissional do SPFC, Andre Jardine, e convocou todos para Toulon em data-Fifa, em virtude do calendário das seleções principais. E o torneio é considerado o Mundial Sub-23, conforme lembrou o técnico Alexandre Gallo, no Esporte Interativo, outro dia. E tem chancela FIFA. Peres foi à CBF e nada arrumou, porque ficou de chororô, segundo uma fonte palaciana do futebol brasileiro desta coluna. O presidente do Corinthians, Andres Sanchez, por outro lado, conseguiu manter Cássio e Fagner para o jogo da Copa do Braisl. Para tanto cedeu um jogador a mais pra Toulon. Peres deveria ter cedido Yuri Alberto, Kaique Rocha, Kaio Jorge, enfim a molecada da Base que Sampaoli nem usa e pedir para o Rodrygo chegar só para a terceira rodada. Foi chorar e não deu opção para Rogério Cabloco. Se desse, essa história seria outra. Então a culpa é dele sim!

Doença?

Diante dos fatos, eu queria entender a dificuldade de Peres assumir suas culpas. É autodefesa, doença ou falta de autorreflexão mesmo?

Não foi a primeira

Essa não é a primeira eliminação da Copa do Brasil por erros administrativos. Na Copa do Brasil de 2018, Peres ficou um mês com os reforços estrangeiros treinando e nenhum foi inscrito no BID. Não jogaram e o Santos foi desclassificado. Peres, inclusive, disse na coletiva de apresentação de Carlos Sanches que ele veio para jogar a Copa do Brasil de 2018. O que não ocorreu.

Segunda

A segunda eliminação por culpa de Peres foi na Libertadores de 2018. De Peres e de Sergio Dimas. Afinal, ninguém viu que Carlos Sanches tinha sido expulso e não podia jogar na competição. Fomos eliminados por isso. No fim, Peres culpou o estagiário do Departamento Jurídico. Coisa de gente pequena. A culpa foi dele.

Música

A Copa do Brasil de 2019 foi a terceira pelos motivos já elencados. Torcedores estão fazendo um abaixo-assinado na internet pedindo para o Fantástico, da Rede Globo, pedir para o Peres indicar uma música no programa. Afinal, três “gols” dá direito. Entendeu ou não?

Almoços com Caboclo

Em coletiva de imprensa no meio do imbróglio, Peres lembrou que tem boa relação com a CBF. “Trabalhei na gestão Marco Polo por seis anos na FPF. Quem almoçava comigo? Cabloco, então gerente e Feldman. Hoje, presidente e secretário da CBF. Estamos bem, cada um defende seu espaço”, comemorou.

vila-belmiro-Cópia-600x261

Jantado

No fim, Peres não conseguiu trazer o jogo de volta para a Vila (vale lembrar que o pedido por oficio do Santos data do dia 10 de maio e o primeiro jogo foi 15 de maio, ou seja, pelo regulamento dava pra mudar) e sequer conseguiu a desconvocação de Rodrygo. Circulou muito um áudio de Peres depois do jogo, datado da campanha de 2017, onde ele dizia que Modesto Roma era “jantado” na CBF, na FPF e na Conmebol e que ele tinha “penetração” nessas entidades. No fim, o Santos não teve vantagem alguma. E Peres foi jantado sem penetração por quem almoçou com ele por tanto tempo: Rogério Cabloco.

Ojeriza do Chefão

Quem conviveu na FPF, nos seis anos em que Peres foi diretor, lá indicado por Marcelo Teixeira, sabe que o atual presidente do Santos era “odiado” por Marco Polo Del Nero, que tinha total ojeriza por ele, a ponto de manter distância longa do dirigente e de ter pedido a cabeça dele umas dez vezes a Marcelo Teixeira. A ojeriza aumentou depois que Peres criou o G4 e passou a se intitular autor de atos de marketing feitos pela FPF.

Omelete de Bacon

Associados atentos lembraram a coluna do primeiro debate da eleição do Santos de 2017, quando Peres disse ter feito o contrato com a Globo em 2010 e Modesto Roma mostrou uma carta de Reinaldo Carneiro Bastos, presidente da FPF, negando o fato e chamando o Peres de mentiroso em papel timbrado do futebol paulista. A verdade é que a cartolagem do futebol brasileiro preferia almoçar omelete de bacon com Roma ao ir no jantar no Empório Diniz, com Peres. Até porque o Empório Diniz, conforme já foi esclarecido, não serve refeições, apesar de Peres ter afirmado que jantou no local na prestação de contas de seu cartão corporativo.

Revolta

Vitor Ferraz, o capitão do time, e outros atletas estão revoltados com Peres e brilhante gestor. Primeiro por terem jogado no Pacaembu. Ferraz em entrevista pós-jogo disse que doía perder uma classificação em (pausa longa) nossos domínios, deixando claro a preferência pela Vila.

Revolta 2

Outro motivo de revolta foi a publicação antes do jogo do pagamento de salários, por um jornalista. Todos os jogadores sabem que quem vaza as coisas do clube para o rapaz. Os líderes prometem cobrar o gestor sobre o vazamento e do pagamento das premiações e imagens ainda atrasadas.

Erros de Sampa

O volume absurdo de erros de Peres minimiza, mas não apagam os erros do técnico Sampaoli no jogo. O time jogou sem padrão tático algum. Ninguém entendeu Sasha, que vinha bem, no banco, nem Soteldo que também está em crescente no banco. Muito menos Jean Motta, o craque do Paulistão 2019. E a saída de Felipe Aguillar ninguém entendeu.

É Vanderlei

O erro do goleiro Everson no primeiro gol de Chará, do Galo, que esqueceu de usar as mãos para abafar a jogada, sacramentou de vez a titularidade de Vanderlei no gol do Peixe. Pode devolver para o Ceará?

Escaparam

Verdade seja dita, os atletas Jean Lucas e Marinho jogaram bem e escaparam da péssima noite santista.

Cigarro no fim

Muitos torcedores estão revoltados com Diego Pituca. A análise desse jogador é que o fogo dele some nos jogos decisivos.

Eu disse

Após o jogo, Sampaoli disse que avisou que queria jogar na Vila pra evitar o desastre e pediu entendimento com a CBF para ter Rodrygo.

Não curtiram

Conselheiros do Santos, muitos do grupo Pró-Santos e o ruedista Wladimir Mattos, que é empresário de futebol, foram cobrar um jornalista, após publicar no Twitter: ”Independentemente dos erros cometidos pela gestão, é triste ver gente “comemorando” a eliminação do Santos pensando nos desdobramentos do Conselho e na próxima eleição. O que teve de gente saindo do túmulo…”

Não curtiram 2

Conselheiros indignados com a postura do rapazinho, alegando que ele é menino de recados de um gestor, pretendem apresentar um requerimento pedindo a expulsão dele do quadro associativo e a proibição da presença nas dependências do clube até ele “revelar” quem estava comemorando e quem saiu do túmulo.

Intimidar, não

Jornalista e ex-dirigente da categoria, acho que conversar e buscar entendimento é da sociedade. Mas intimidar não! Violência também não! O jornalista está dando a opinião dele, concordem ou não! Qualquer excesso é crime e terá que ser punido!

Perdendo apoios

Impressionante a mudança de postura no grupo de Conselheiros da Chapa “Somos Todos Santos”. Antigos apoiadores de primeira hora de Peres racharam literalmente com o dirigente e o estão culpando pela desclassificação.

Arrependido

Alguns lamentam até terem votado contra o impeachment e conquistado votos para Peres permanecer no cargo.

macaco1

Segurança 45

Peres apareceu na Vila Belmiro na sexta-feira (7), dia após a desclassificação. Mas não estava sozinho. Tinha a companhia de 45 seguranças. Dizem que vestiu novamente o colete à prova de balas que o caracterizou no processo de impeachment. A pergunta é: o clube está pagando a conta dessa segurança toda?

Escondidinho

A presença de Peres na Vila causou espanto. Afinal, até as moscas sabem que ele prefere ficar no Business Center, na Capital, do que vir para o “puxadinho”(sic). A verdade é que Peres ficou com medo de uma movimentação pacífica de uma ala da Torcida Jovem iria fazer no local, incentivada pelo rapper Mano Brown, e decidiu se esconder onde ninguém imaginaria que ele estivesse: a Vila Belmiro.

Nota Jovem

A Torcida Jovem divulgou nota sobre a desclassificação e promete ações pacíficas: “A Torcida Jovem do Santos, vem por meio desta nota mostrar seu total descontentamento com a fase do Santos F.C. Pautados na incapacidade da atual gestão e da má vontade de diversos jogadores que não estão honrando o manto sagrado do maior time do mundo, encaramos como vergonhosa a eliminação do Campeonato Paulista, Sul-americana e Copa do Brasil, além da lamentável a forma com que a diretoria lida com essa situação. Convocamos todos os associados e santistas em geral para uma manifestação pacífica que irá acontecer antes, durante e depois do jogo de domingo, dia 9, na Vila Belmiro! Brasileirão é obrigação!

3 em 1

Outro arquivo que lotou celulares após a desclassificação foi um áudio de Peres dizendo que, por ele, o Santos jogaria 3 vezes no Pacaembu e apenas uma na Vila. Afinal o clube precisa de receita. A desclassificação, que custou R$ 3 milhões, a baixa receita de bilheteria, que deu prejuízo segundo o boderô, mostram que Peres não entende nada de jogo de futebol.

Bolton

Associados e conselheiros aguardam ansiosamente a chegada de Roberto Domedi, do Bolton Goup, para explicar o milagre do retrofit da Vila. Acreditam esses santistas que Peres vai usar o retrofit de desculpa para mandar todos os jogos no Pacaembu e não terminar a obra em sua gestão.

Compra encaminhada

Santistas-paulistanos garantem que a compra do Pacaembu pelo Santos já está bem encaminhada em conversas de Peres com Vitor Aly (secretário de Obras da Capital), Bruno Covas e João Dória, em prestações que ultrapassam décadas de pagamento à municipalidade paulistana. Peres estaria apenas esperando fechar retrofit para divulgar o acerto.

Tirando da cova

A divisão “a deus dará” do pagamento do Pacaembu pelo Santos foi a única maneira encontrada pelo prefeito de São Paulo e conselheiro do Santos, Bruno Covas, para se livrar das despesas do estádio e cumprir a promessa do ex-prefeito Dória na campanha de 2016.

peres

Páginas policiais

A Polícia Civil prendeu o funcionário do Santos, Alexsander Lopes Rodrigues, dentro da Chácara Nicolau Moran, nessa semana, por condenação por pedofilia. Rodrigues, contratado por Peres, em janeiro de 2018, para trabalhar no CT Meninos da Vila, foi condenado por ter abusado de uma enteada em 2009 e era foragido da Justiça. Um absurdo ter um condenado por abuso de menor convivendo com os jogadores da base do clube. Apenas no mês passado, Rodrigues foi transferido para a sede do Santos no ABC.

Mudou de lado

Rodrigues era do “Grupo Santistas do Interior”, do conhecido e contestado Gean Marcelo, que apoiou a eleição de Andrés Rueda. Com promessa de emprego, Alexsander rachou o grupo de Gean e criou o “Santistas do Litoral”, entidade que integrou a União Santista, grupo com vários segmentos políticos do clube, que apoiou a eleição de Peres e Rollo. Esse grupo foi trazido por Pedro Doria Mesquita, então presidente da DNA Santista, que apoiava Rueda e perezou no meio da campanha. Indignada com o fato, a União Santista publicou vídeo dele e de Peres que comprova a ligação. Certa vez, Rodrigues ganhou de presente de aniversário uma churrascada no CT Meninos da Vila. Tudo de graça.

Agradecimento

Prova da ligação de Rodrigues com Peres e Doria é uma postagem do Facebook feita por ele, de uma foto com Peres onde no texto ele agradece o presidente do Santos e seu “padrinho” (sic), Pedro Doria, pela oportunidade de trabalhar “honestamente” (sic) no clube de coração.

Segundo caso

É o segundo caso de pedofilia envolvendo o nome do Santos na gestão de Peres. O ex-coordenador da Base e ex-sócio do Presidente Peres na empresa Saga Talent, Ricardo Macri Crivelli, o Lica, foi acusado de pedofilia e “afastado” do clube. A Polícia até agora não divulgou o resultado do inquérito. Dizem que Lica nem prestou depoimento ainda. Tem sido visto e fotografado em jogos da base do Peixe.

Ligações perigosas

Um funcionário preso por pedofilia; um ex-sócio do presidente e funcionário sendo suspeito de pedofilia; um gestor acusado pela mãe, pela tia e pela avó de ameaças e agressões nos termos da lei Maria da Penha; e ainda um empresário de estimação que tem os direitos políticos cassados pela Justiça Eleitoral por desobedecer a lei, mas que o abonam a ser um dos escrutinadores dos pleitos do clube. Essas são as ligações do presidente.

Fogo-amigo

Pra quem diz facilmente que os outros são ladrões, “mamadores de tetas” e outras coisas mais como Peres, não deveria ter ao seu lado pessoas com o currículo elencado na nota anterior. Será que o presidente anda enxergando bem?

Auditoria na Justiça

O juiz Rafael da Cruz Gouveia Linardi, da 1ª vara Cívil do Fórum de Santos, condenou o Santos FC e a GF Brasil a “retificarem” documento de sugestões de procedimentos administrativos produzido pela empresa ao clube a peso de ouro, que Peres “apelidou” de auditoria e saiu atacando a honra de profissionais e empresas no site oficial e na imprensa. A ação que causou a retificação foi movida pelos advogados Ricardo da Silva Arruda Júnior e Luciano Antonio dos Santos Cabral, ambos da Arruda & Cabral Sociedade de Advogados. Peres e a GF Brasil acusaram a empresa e seus profissionais de terem recebido sem prestar serviços ao clube. A mentira praticada por Peres e pela empresa é bem evidenciada nos autos do processo que é público e está à disposição no site do Tribunal de Justiça de São Paulo.

Retratação

Assim que notificados, tanto o Santos como a empresa, terão que fazer nota pública de retificação e mudar o documento disponível no Portal da Transparência do clube.

Não é a primeira

Não é a primeira “retificação” da propalada “auditoria” de Peres. Hoje, no Portal da Transparência há uma nota de retificação quanto ao caso do Hotel Praiano, do conselheiro Márcio Costas, ex-membro do Comitê de Gestão de Modesto Roma.

Vai recorrer

O juiz não deu dano moral em prol dos advogados, que vão recorrer à segunda instância, por entenderem que houve o dano e querem ser ressarcidos pelo clube.

Indignados

Conselheiros com acesso à decisão ficaram indignados ao ver que os advogados do Santos FC, contratados pelo Peixe, via pessoa jurídica e CLT, é que defenderam a GF Brasil. Como uma auditoria de renome não tem corpo jurídico? Os conselheiros querem saber se os valores da defesa estão sendo debitados da dívida do clube com a empresa.

Alertou

Os problemas com a GF Brasil, empresa que não é habilitada para fazer auditoria, cujo sócio entrou na empresa na véspera de assinar contrato com o Santos, e outras questões foram levantados pelo ex-controller do Santos e conselheiro, José Macedo Reis, presidente da Associação Orgulho de Ser Santos, em requerimento que tramita no Conselho Deliberativo.

E o nariz?

Vale lembrar que ao anunciar o trabalho da GF Brasil, no Conselho Deliberativo, Peres disse que a empresa trabalhou na Operação Lava-Jato da Polícia Federal, fato que não tem nenhuma comprovação. E na nota que apresentou o trabalho final chamou todos de criminosos e prometeu ir a Justiça. E foi, mas como réu, e não como vítima. Triste!

CIS Pistola

Presidente da Comissão de Inquérito e Sindicância, José Geraldo Gomes Barbosa, colocou sua turma pra trabalhar. Está notificando e dando prazo de 15 dias para apresentar contrarrazões de defesa de todos os membros do Comitê de Gestão de Modesto Roma no exercício de 2015 (são 14) e todos os membros do Comitê de Gestão de José Carlos Peres no exercício de 2018 (também 13), para julgar a reprovação de contas das duas gestões. Tio do prefeito municipal de Santos, ex-diretor de Marketing do Santos na gestão Marcelo Teixeira e organizador do Movimento Cidade de Santos X Peres, Barbosa é conhecido por não fugir de bola dividida.

Não vai

Questionado por membros da CIS se não deveriam convocar para oitiva os conselheiros arrolados, Barbosa disse que prefere ter a defesa por escrito para depois definirem no parecer. Na notificação, Barbosa abre para os arrolados convocarem testemunhas a serem ouvidas. Se todos fizerem isso, arrolarem testemunhas, a CIS vai mudar de nome para ouvidoria. Fazem parte da CIS, além de Barbosa, Rubens Passos, Florival Barletta, Décio Couto Clemente e José Rubens Marino.

Lista grande

Ao todo, hoje, são 23 pessoas arroladas nos dois inquéritos a saber: Modesto Roma Júnior, José Carlos Peres, Cesar Conforti, Orlando Rollo, José Renato Quaresma, Andres Rueda Garcia, Pedro Doria Mesquita, Rodrigo Marino, Urubatan Helou, Lourenço Lopes, Hanie Issa, Paulo Roberto Dias, Fabio Gaia, José Macedo Reis, Bruno Carbone, Luiz Antonio Ruas Capella, Matheus Rodrigues, Carlos Moraes, Anilton Perão, José Carlos de Oliveira, Raphael Vita, Paulo Schiff e Estevam Jobhes. Todos estiveram no Executivo do Peixe em 2015 e 2018.

Nos dois

Andres Garcia Rueda é um caso à parte. Esteve no Comitê de Gestão nos dois exercícios cujas as contas estão em análise na CIS.

Impedimento

Há conselheiros que pedem o afastamento de Rubens Marino da CIS no caso das contas do exercício de 2015. Explica-se, afinal seu sobrinho Rodrigo Marino, é um dos indiciados. Rubão hoje está de licença médica do Conselho devido a uma operação.

Contratada

Para atender tanta demanda, o Conselho contratou uma secretária exclusiva para a CIS. Haja ofício de convocação.

Fora

Único membro do Comitê de Gestão de Modesto Roma que está fora dos processos é o conselheiro Marcio Costas. Explica-se: ele entrou no Comitê de Gestão em 2016, dois meses após a reprovação das contas de 2015 na vaga aberta por Andres Rueda.

E os R$ 4 milhões?

Entre os indiciados, há muito burburinho. Um deles inclusive confidenciou a coluna que espera que a CIS convoque o depoimento do presidente do Conselho, Marcelo Teixeira, que em janeiro de 2015 emprestou R$ 4 milhões ao Santos, e estranhamente esse empréstimo não foi apontado no relatório do Conselho Fiscal do exercício. Vale lembrar que o Estatuto proíbe o empréstimo de recursos de conselheiros ao Santos, e Teixeira, é membro nato do egrégio conselho desde o fim de sua primeira gestão, em 1993.

Disputa em família

Caso os processos da CIS expulsem do clube todos os indiciados, a eleição de 2020 pela presidência corre risco de ser disputada em família. De um lado, Miltinho Teixeira, que não esconde seu desejo de sentar na cadeira que já foi ocupada por seu pai e pelo seu irmão. Do outro, Marcelo Teixeira, que tem sido pressionado a voltar a Presidência do clube.

E os parados?

Alguns conselheiros olham a movimentação da CIS com rabo de olho. Afinal, a comissão tem muitos inquéritos em andamento parados, com prazos estatutários vencidos: O da Quantum do dinheiro do PSG da compra de Neymar, o das Contas de 2017 de Roma, o caso de Silvio Novelli encaminhado pelo CG, o do racismo de Adilson Durante, o do áudio cabeludo de Ricardo Feijo e ainda o da GF Brasil.

Nenhum

Desde que assumiram em janeiro, a CIS de Barbosa ainda não produziu nenhum parecer para ser votado pelo plenário.

E as cadeiras?

Um grupo de conselheiros está indignado com a situação do conselheiro Silvio Novelli. Demitido da gestão por vender cadeiras sem autorização, ele está exercendo na plenitude seu mandato de conselheiro, apesar de ter causado prejuízo ao clube. Dizem que a saída dele custou muito aos cofres do clube porque Novelli sabe demais. Os conselheiros querem saber quanto ele ganhou na rescisão e quando vai ser expulso do Conselho Deliberativo e do quadro associativo?

E o advogado de Porozo?

Outro na mira dos conselheiros é o ex-gerente jurídico e também conselheiro, Daniel Bykkof. Apontado por Peres, segundo Andres Rueda disse em plenário, como autor da lambança da contratação de Jackson Porozo. Por ter induzido presidente e vice a erro, Bykoff foi demitido e retornou ao Conselho sem sofrer nenhuma punição. Tem conselheiro exigindo que a CIS tome providência.

Calou a boca!

O silêncio do conselheiro Ricardo Feijó, ex-diretor de Finanças da gestão Peres, também tem intrigado associados, jornalistas e conselheiros. Principalmente após as gravações de conversas cabeludas dele no whatsapp.

Profut

Fora tudo isso que tem na CIS, está para ser protocolado, o requerimento do conselheiro Jairton Seixas, que pede o afastamento imediato dos 13 conselheiros que estiveram no Comitê de Gestão em 2018. A coluna leu o requerimento e está bem fundamentado.

Todo mundo quer assinar

Após a relutância inicial, cresceu assustadoramente o número de conselheiros que quer assinar esse requerimento de Jairton, após a eliminação da Copa do Brasil. A desculpa por não terem assinado antes é que não queriam tumultuar o ambiente antes do resultado decisivo do campo.

Ajuda

Diante do acúmulo de pedidos, Jairton tem pedido ajuda a outros conselheiros para organizar o trâmite de pegar assinaturas em São Paulo e Santos.

Organizando

Até mapa de trajeto tem sido feito por Jairton, que é engenheiro para pegar o maior número de assinaturas. O mapa deve ser finalizado segunda-feira.

Interestadual

Até a ida do documento para Curitiba e Atibaia, cidades onde o Santos tem conselheiros eleitos, está programada. Além de Santos, São Paulo, ABC e São Vicente/Praia Grande.

Duprat na mira

Um influente conselheiro, que já foi do Futebol do Peixe, programa um requerimento com base na confirmação da presença do empresário Renato Duprat na gestão. Quer a expulsão do mesmo do quadro associativo e ainda a moção de repúdio pelos prejuízos já causados ao clube.

Big Brother no Shopping

A polêmica do cartão corporativo de Peres ainda vai render. Conselheiros paulistanos teriam conseguido imagens de sistema de segurança de estabelecimentos que comprovariam que compras feitas no cartão do Santos foram realizadas pela filha de Peres, Daniella Rocco Peres, e pela esposa, Maria de Lourdes Rocco Peres.

E o Master?

Estamos quase na metade do ano e o Santos FC segue sem patrocínio master. Apesar do prometido dez dias ter acontecido umas quatro vezes por Peres. Será prorrogado?

Contestado

A ineficiência em conseguir um patrocínio master já tem feito associados, torcedores e conselheiros contestarem a eficiência do gerente de Marketing, Marcelo Frazão.

Pressão paterna

Impressionante a liberdade de Neymar pai na Seleção Brasileira. Até acesso ao vestiário pra ele e para assessores e a turma do “tois” de Neymar existiu. É muito escudo paterno em um homem de 27 anos.

Privilégios

Vale lembrar que esses privilégios ele aprendeu no Santos de Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro. Até carta para ser vendido antes ele deu e ainda montou staff próprio ao atleta pago pelo clube. Prova disso é que após a venda ao Barcelona o staff todo foi trabalhar na empresa do Neymar.

Solidariedade a Mauro Naves

A coluna reitera solidariedade ao repórter Mauro Naves, afastado da Rede Globo por ter dado um telefone e mantido relação de fonte com um advogado, coisas que todo bom jornalista já fez.

Prefeito Quaresma?

Causou rebuliço a notícia da política de Santos nessa semana, que aponta a possível candidatura a prefeito do conselheiro do Peixe, José Renato Quaresma, pelo Podemos. Empresário de sucesso, Quaresma pretende ser opção no pleito municipal e conta com apoio de Álvaro Dias. A eleição da Cidade é em outubro de 2020. A do Santos FC em dezembro. Será que Quaresma vai disputar as duas?

Brochou!

A notícia brochou apoiadores de primeira hora de Quaresma, que entendem que o foco dele deveria ser o Santos FC.

Remake

Se não sair candidato a prefeito, Quaresma terá feito um remake de antiga estratégia de Marcelo Teixeira, que sempre ameaça colocar seu nome a disposição na sucessão municipal, mas fica restrito a política do clube.

A conferir.