“Os deputados da Baixada Santista estão apenas voltados para seus pequenos interesses eleitorais, com um horizonte super reduzido”, diz José Manoel Ferreira Gonçalves

José Manoel Ferreira Gonçalves é doutor em Engenharia de Produção pela Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP), Mestre em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal de Itajubá. Engenheiro Civil (Universidade Mackenzie), Jornalista (Fundação Cásper Libero) e Advogado (Universidade Santa Cecília). Pós-graduado em Geoprocessamento (UFRJ), Termofluidomecânica (EFEI), Eng. Oceânica (Coppe-UFRJ) e História da Arte pela Fundação Armando Álvares Penteado FAAP. Conselheiro do Instituto de Engenharia em dois mandatos e do CREA- Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de São Paulo e autor de quatro livros sobre ferrovias. É um dos principais especialistas em modal ferroviário e ferrovias no País.  A seguir, Gonçalves faz uma avaliação da situação do transporte e das estradas de ferro pelo Brasil.

Qual é a realidade da malha ferroviária do País?

É lamentável a situação a que chegamos. Há 20 anos, com a extinção da Rede Ferroviária Federal e a Fepasa, foram feitas concessões muito mal elaboradas, com contratos péssimos, que facilitaram a prática de monopólio dos trilhos existentes, sem cuidar da qualidade dos serviços muito mal prestados. O resultado foi e continua sendo o fechamento de ramais ferroviários e até mesmo de trechos de troncos ferroviários em todo o País. Hoje temos cerca de 15 mil quilômetros em funcionamento. Dos 4 mil existentes em SP, funcionam neste momento apenas 2 mil. Uma vergonha!

 

Quais são os maiores absurdos que constatou pelas suas viagens pelo País?

A falta de projetos sérios e estruturados, com a identificação das demandas de cargas, a desconexão das malhas existentes entre si e com os portos. O desconsiderado direito de passagem, justo e equilibrado, que leve em conta os interesses do País e não apenas os mesquinhos interesses menores de grupos míopes, ambiciosos e paroquiais. Um exemplo disso: faz três anos que um trecho de mais de 800 km da ferrovia Norte-Sul, entre Anápolis, em Goiás, e Palmas, no Tocantins, continua inoperante. Só de frete isso significa que desperdiçamos mais de R$ 1 bilhão  por ano.

Como anda a questão da renovação antecipada da concessão da malha ferroviária paulista?

A Ferrofrente, com o apoio da Federação Nacional dos Engenheiros Ferroviários, entrou com uma ADI- Ação Direta de Inconstitucionalidade- contra essa absurda renovação antecipada da chamada malha paulista. A forma como isso foi proposto, a incapacidade dos órgãos do governo negociarem, ouvindo as sugestões e críticas de diversos segmento do setor ferroviário, e a inação da ANTT- Agencia Nacional dos Transportes Terrestres- autorizam a percepção geral de que algo nada ético e republicano esteja sendo imposto pelo governo com o conluio das concessionárias, na prática colocando o País como refém de interesses bastante discutíveis.

O País continua investindo no transporte em cima dos caminhões por comodidade ou incompetência ?

Por omissão criminosa não apenas dos políticos e dos diversos governos, mas também é necessário que se diga de forma clara, da nossa sociedade que simplifica, se acovarda e mantem medíocres e hipócritas governantes que insistem em não perceber que o Brasil precisa de projetos ou planos de Estado e não apenas de governos débeis e fracos.

Existem deputados federais engajados na luta pela volta e recuperação das ferrovias do Brasil?

Existem sim. São poucos. Da bancada da Baixada Santista, por exemplo, não se salva nenhum. Estão apenas voltados para seus pequenos interesses eleitorais, com um horizonte super reduzido e nada generosos. Uma pena. Em termos nacionais, merece todo o nosso respeito e admiração parlamentares como o Ronaldo Lessa, presidente de uma importante Frente Parlamentar pela Engenharia Nacional.

Como avalia a matéria do Fantástico sobre a Ferrovia Norte-Sul? Acha que as coisas vão começar a andar ou não podemos esperar nada até a eleição do novo presidente da República e do novo Congresso Nacional?

Esse governo que ai está, capenga, disforme, trôpego e que tomou o poder legítimo de uma presidente eleita, não foi processada por corrupção, como ocorre agora, é absolutamente incapaz, impatriótico, frágil, ilegítimo e suspeito, dele espero apenas a renúncia imediata e a convocação de eleições gerais antecipadas.Quanto a matéria do Fantástico, da TV Globo, sem dúvida foi uma matéria de alerta e denúncia importante. A repórter especial Sônia Bridi e a equipe de produção do programa fizeram um ótimo trabalho, sério e profundo que poderá muito bem inspirar outros veículos a seguir caminho parecido.

Como é e está servida a Baixada Santista de malha ferroviária? Está quase tudo abandonado?

A nossa querida Baixada Santista está muito mal representada no parlamento nacional e também estadual. Já tivemos excelentes parlamentares que defendiam com vigor e coragem os mais significativos interesses do povo da região, coisa que infelizmente ficou no passado. As ferrovias existentes na Baixada também estão sofrendo a falta de uma representação mais capaz e firme.

 

Vem aí ” Nos Bastidores do Santos FC”, no Blog Santos Em Off

Quem me conhece um pouco sabe que, desde 1993, acompanho o Santos Futebol Clube. Muito tempo, estive na função de setorista e, nos últimos anos, atuando num site local, na função de editor, estive ligado aos assuntos do Peixe.
Em 2014, nos meses anteriores aos da eleição para presidente, lancei a coluna “Nos Bastidores do Santos”. Diariamente, publiquei detalhes sobre a corrida presidencial que terminou com a vitória de Modesto Roma.
Bem, agora, vou voltar com a coluna e, em breve, começo a publicar no meu Blog. Até o dia da eleição e a escolha do presidente para o triênio 2018 a 2020, pretendo publicar informações que possam ajudar a definir o futuro do Alvinegro.
Faltando um pouco mais de cinco meses para a eleição, alguns grupos já começam a se articular. O Santos FC está envolvido em três competições (Libertadores, Copa do Brasil e Brasileirão) e os resultados do time já andam servindo como motivo para criticar a atual diretoria.
Foto: Reprodução
Algumas ideias já começam a estourar nas telas do computadores. Umas lembram a administração Luis Alvaro Ribeiro,  o Laor, que começou com ares de modernidade e terminou num absoluto caos, com reflexos sentidos até hoje pela administração Modesto Roma.
A famosa transformação do clube em empresa ainda não tem um exemplo que justifique tal atitude, pelo menos, no Brasil. A questão primordial é que mesmo celebrando contratos milionários e envolvendo quantias astronômicas de dinheiro, os clubes brasileiros têm um formato jurídico que não permite acesso a lucro. Ou seja, não há possibilidade de distribuição de dividendos aos associados, pois esse dinheiro tem de ser reinvestido na estrutura do clube. Isso inviabiliza que grandes investidores coloquem dinheiro visando um ganho a médio e longo prazos.
Bom, isso é só o começo. A conferir.
 

Aplicativo avalia aceleração, frenagem, viradas e percurso para dar descontos no seguro do carro

Fotos: Reprodução
A plataforma mobile de seguros thinkseg, que coloca sua marca nas costas da camisa do Santos Futebol Clube, na disputa da Copa do Brasil, lançou novo formato de  seguro para veículos que premia o motorista  pelo modo de condução do carro com desconto de até 40% no valor pago.
Com o motorista no volante, as perfomances de aceleração, frenagem, viradas (curvas bruscas ou suaves) e percurso são captadas pelo celular com o aplicativo. Você paga conforme o jeito de dirigir (pay as you drive).
 
O condutor do aplicativo vai ganhando estrelas de acordo com o desempenho.  Ao final de cada mês, o APP thinkseg mostra o resultado médio do desempenho do motorista no volante que recebe estrela.  Quanto mais estrelas, mais descontos no seguro. O percentual de desconto pode chegar até 40%.
Para começar a ter  os descontos, a pessoa precisa  baixar o aplicativo pela loja da Google Play (Android) ou da Apple Store (Iphone). Por meio da tecnologia da telemática, os dados da pessoa no volante são transmitidos ao celular.
 
Atualmente,  2,3 mil corretores integram a plataforma thinkseg, que também conta com 3 mil clientes cadastrados, com o aplicativo no celular que proporciona desconto no seguro do carro e pontos para serem trocados por prêmios. A conferir.
 

O chororô dos patrões e o “reajuste” zero para os jornalistas

Fotos: Reprodução
Os jornalistas que trabalham em Jornais e Revistas do Interior e Litoral do Estado de São Paulo entraram em data-base, no dia 1 de junho. Todos os anos, as negociações se arrastam até novembro e dezembro e sempre pela intransigência dos empresários do setor acontece o impasse. As reuniões entre os representantes dos patrões e trabalhadores estão cada vez mais tensas e sem acordo.
Em outros tempos, no mínimo, os patrões ofereciam a reposição da inflação aos jornalistas. O que viesse a mais, era ganho real. Hoje, os empresários decoraram um discurso choroso e todos só falam em prejuízos e contas no vermelho. A proposta básica é reajuste zero nos salários e cláusulas econômicas.
 
Esse papel ensaiado e desempenhado pelos representantes dos patrões beira o ridículo. Todos sabem que as empresas de comunicação ganharam braços ou tentáculos e eles que vêm abastecendo de dinheiro o empresariado do setor. São criadas empresas de eventos, corridas, passeata de cachorro, debates caça-níquel e nada disso é de graça e a grana, que não é pouca, chega e o negócio “imprensa” continua com seus números frios e vermelhos. O produto “Jornalismo” virou secundário. Terreno fértil para sugestões como redução salarial, Banco de Horas, Plano de Saúde com coparticipação, entre outros absurdos.
Na primeira reunião entre patrões e empregados já deu pra sentir o que vem pela frente. Os jornalistas reivindicam reajuste pela inflação de 3,35% e aumento real de 2%, pois o reajuste do segmento também foi parcelado e levou a perdas em 2016.
Como os empresários gostam de se superar, a proposta foi de redução de ganhos e retirada de direitos, pois querem alterar um conjunto com garantias conquistadas ao longo de anos nas Convenções Coletivas de Trabalho.
Além de reajuste “zero” para salários e benefícios, os patrões do Interior e Litoral querem excluir a multa pela não instituição do Programa de Participação nos Lucros e Resultados – PLR (cláusula 13º da CCT), o que, na prática, significa “retirar” o pagamento do PLR, que atualmente está no “astronômico” valor de R$ 955,00.
Os empresários também querem retirar a obrigação de manter o seguro de vida (cláusula 18), que representa uma perda aos herdeiros do jornalista, e reduzir a multa pelo atraso no ato da homologação (cláusula 26º), mantendo apenas a multa pelo atraso no pagamento das verbas rescisórias.
Na próxima quarta-feira, dia 28 acontece mais uma  negociação da Campanha Salarial de Jornais e Revistas do Interior e Litoral, na sede do Sindicato das Empresas Proprietárias de Jornais e Revistas no Estado de São Paulo (Sindjori), na Capital. A conferir.

Advogado pede informações sobre CNH suspensa e quer apreensão de passaporte de acusado de atropelamento

Fotos: Reprodução
O advogado Airton Sinto, contratado pela família de Matheus da Silva Nascimento para trabalhar na acusação do goleiro Raphael Aflalo Lopes Martins, que atropelou e matou o estudante na Avenida Epitácio Pessoa, no bairro da Aparecida, em 9 de abril passado, solicitou à autoridade policial responsável pelo inquérito as informações sobre os motivos do acusado pelo crime estar com sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH) suspensa, no dia do acidente.
Airton Sinto pediu também ao delegado que recolha o passaporte de Raphael Aflalo Lopes Martins já que o goleiro acusado pelo crime estaria pensando em sair do País. O Blog Santos em Off apurou que Aflalo poderia ir para Portugal. O advogado ainda não recebeu a resposta do delegado.
 
Morador de São Vicente, Matheus estudava e ajudava o padrasto Charles Nascimento da Silva num carrinho de bebidas na praia. De acordo informações da Polícia, Matheus e Charles Nascimento da Silva, padastro dele, atravessaram a avenida com o carrinho, quando foram surpreendidos por uma carro BMW 318 IA, placas BIA 0215, cor prata, de Santos. Com o impacto, o estudante foi arremessado a alguns metros. Ele foi levado ao hospital, mas sofreu uma parada cardiorrespiratória e faleceu.
A BMW ainda atingiu um veículo que estava estacionado na avenida.  Raphael estava com sua CNH vencida,  tentou fugir, mas foi impedido por pessoas que estavam no local.  O caso foi registrado como homicídio culposo (sem intenção) na direção de veículo automotor.
PROTESTO
No domingo, dia 25 deste mê, às 14 horas, na Fonte do Sapo, no Bairro da Aparecida, familiares e amigos prometem fazer mais uma manifestação para homenagear Mattheus e lembrar seu aniversário, que foi no dia 20 passado. Com camisetas, faixas, cartazes e panfletos vão pedir rapidez à Justiça e responsabilização de Raphael Aphalo, que pertence a uma das famílias mais ricas e influentes da Cidade. O padrasto de Matheus é ambulante e a mãe, cozinheira desempregada. A conferir.