Fotos: Anda-Divulgação

O navio Nada pretende zarpar nesta sábado, dia 3, às 11h30. Ele está atracado no Ecoporto para embarque de bois. A Justiça, por meio de uma liminar, proibiu a entrada dos animais no navio e determinou a retirada dos que já estavam lá dentro.

Os ativistas que estão no local garantem que a determinação da Justiça não está sendo respeitada pela Minerva Foods. A empresa está tentando cassar a decisão judicial.

De qualquer maneira, os ativistas pretendem fazer uma grande manifestação neste sábado, em frente ao Ecoporto, para evitar que o navio zarpe.

Eles pretendem fazer um grande barulho a partir das 9 horas.

Até o ministro dos Transportes Maurício Quintella Lessa que não tinha agenda na Cidade resolveu aparecer por aqui, mas para dizer que tudo está nas mãos da Justiça e que o transporte de animais foi feito dentro das normas estabelecidas.

O presidente da Codesp, José Alex Oliva, negou que houve descarte de fezes dos animais pelas ruas e no mar.

A Prefeitura de Santos já aplicou duas multas na Minerva Foods, que somam R$ 3,5 milhões.

Entenda o caso

A Justiça concedeu uma liminar no início da noite desta quarta-feira que impede o embarque de bois pelo Porto de Santos. Ação judicial partiu do ativista Leandro Ferro,da Agência de Notícias de Direitos Animais (Anda), da Capital, e Associação de Proteção Animal de Itanhaém (Aipa). Neste momento, os ativistas estão na porta do Ecoporto. A decisão foi do desembargador Luis Fernando Nishi.

A ação pleiteou a suspensão dos embarques devido às implicações ambientais e os crimes de maus-tratos registrados durante o embarque feito pelo porto em dezembro de 2017, quando 27 mil bois foram transportados para a Turquia em uma viagem de 15 dias de duração. Os advogados citaram que a operação gera um forte impacto ambiental como efluentes, como sangue, fezes, urina, cadáveres, descarte de seringa, plásticos, produtos usados no trato com animais. Em relação aos maus-tratos, a ação cita que o transporte foi realizado em ambientes insalubres, escorregadios, cobertos por fezes e urina, além do uso de picanas elétricas (bastões de choque) e a presença de animais feridos.

A ação tem como réus a Minerva Foods, Codesp e o Ecoporto Santos. Os autores da ação apontaram implicações ambientais, maus-tratos durante o embarque realizado em dezembro quando 27 mil bois foram transportados para a Turquia em uma viagem de 15 dias. Confira os vídeos do embarque dos bois:

https://photos.google.com/share/AF1QipPYSEr_znYgVQJ0e5MEpwhg2o6qxsM8dLI5te1fYuRuwYFq3EurJLNcn6lVRZds2g?key=c2RhTkVyYnFzVU8yZjY3V2F4V0p0YXhsWWpYVFBB

A conferir.