No futebol dizem que a “bola pune” e na política seria a “politicagem”. Há tempos, a Secretaria Municipal  do Meio Ambiente sofre com problemas de gestão. Alvo constante dos acordos, ela é a principal atingida pela dança das cadeiras. Comandada por pessoas que nada entendem de política ambiental e desenvolvimento sustentável, a conta demorou um pouco, mas chegou.

Acaba de ser divulgado o ranking ambiental do Programa do Município Verde Azul (PMVA), da Secretaria Estadual do Meio Ambiente.A cidade de Novo Horizonte, localizada no Interior de São Paulo, conquistou o título de município com a melhor gestão ambiental de 2016. Pela primeira vez desde 2008, quando foi anunciado o primeiro ranking do PMVA, a Cidade de Santos está fora do ranking.

O PMVA sempre foi visto, por alguns, com certa ‘cautela’,pois era considerado algo meio chapa branca mas  esse resultado, de um órgão do Governo do Estado, parece calar os detratores. O programa é técnico e os critérios são públicos.

Tal Indicador, disponível aos agentes públicos e a toda a população, serve como instrumento auxiliar de promulgação e execução de políticas públicas ambientais, de acordo com as características locais específicas de cada município.
Além de nortear a formulação de políticas públicas, o Ranking Ambiental é utilizado pelo PMVA na outorga das seguintes premiações regulares:
“Certificado Município VerdeAzul”, concedido aos municípios que atingem a nota superior a 80 (OITENTA) pontos e preenchem requisitos pré-definidos para cada Ciclo, e ao Interlocutor respectivo. Este Certificado reconhece a boa gestão ambiental municipal e garante à prefeitura premiada prioridade na captação de recursos do Fundo Estadual de Prevenção e Controle da Poluição.

Confira as notas de Santos: 2008, 66,12 pontos; 2009, 81,21;2010, 86,97;2011,85,99; 2012,83,01;2013, 81,50;2014,80,88;2015,80,42;2016,77,59.

Estamos perdendo uma ótima oportunidade de ter uma secretaria operante.