O Blog Santos Em Off recebeu vasto e denso material com denúncias envolvendo diversas gestões da Santa Casa de Santos, tanto em sua irmandade mantenedora tal como no Plano de Saúde que leva o nome do hospital mais antigo do Brasil. É impressionante como as pessoas tidas como arautos da moralidade e detentores de títulos maçônicos, ou mesmo trajando branco médico se utilizam da entidade mais querida da Cidade para obter vantagem pessoal, para parentes ou para empresas que representam. O material que chegou ao blog é mais recheado do que o outro que anda circulando toda Cidade nas mãos do atual vice provedor, Luiz Simões Polaco Filho.

Aliás, é sobre o material apresentado por Polaco em rádios e jornais de Santos que vamos iniciar uma extensa série de reportagens que pretende expor, com fatos e provas, de como políticos, advogados, médicos, comunicadores, conselheiros “irmãos” do hospital, empresários e poderosos grupos da Baixada Santista se utilizam da Santa Casa muitas vezes sem nada ou pouco dar em troca. Uma vergonha. Quem busca vantagem em um hospital com uma história de mais de 477 anos de serviços a sociedade com certeza carimba seu passaporte para o inferno, sem passagem pelo purgatório. A verdade tem que ser dita ao povo santista e é esse o compromisso deste blog desde sua fundação: praticar o bom jornalismo independente e trazer à tona os “offs” que circulam nas rodas de cafezinho de Santos com provas.

Vale esclarecer ao leitor que essas informações só chegaram ao blog porque em fevereiro de 2020 haverá nova eleição para Provedor da Santa Casa e esses “grupos de interesse” querem tomar o “poder” para manter ou obter vantagens no hospital. Uma pena que essas disputas maculem o nome de gente séria e de um hospital que já salvou milhares de vidas e é mola propulsora do desenvolvimento regional.

Toda confusão e futrica na Santa Casa começou com a participação do vice provedor Luiz Simões Polaco Filho (advogado, maçom, conselheiro do Santos e ex-futebolista bastante conhecido na Cidade) no programa do jornalista Paulo Schiff (que já foi candidato à provedoria da irmandade do hospital e, como sempre nas eleições que disputa, perdeu de lavada o escrutínio) na Rádio Jovem Pan Santos, no início desse mês.

No ar, Polaco afirma ter recebido uma denúncia feita por “irmãos do hospital”que tratam de diversas irregularidades da atual gestão da Irmandade, ao qual ele faz parte, e que ele afirma desconhecer e que, por isso, encaminhou as denúncias, assinando de próprio punho todo o material, ao Conselho Deliberativo da Irmandade para apuração. Inflado pelo médico e advogado Arnaldo Haddad (que já representou diversos médicos e pacientes em ações contra a Santa Casa – basta dar uma consultada no site do Tribunal de Justiça para conferir), Polaco virou uma metralhadora giratória para cima do atual provedor, o contador e maçom Ariovaldo Feliciano, do gerente administrativo e apresentador de TV Augusto Capodicasa, e do presidente do Plano de Saúde, o ex-prefeito de Mongaguá, Paulo Wiazowisk. Uma atitude que, aos olhos de quem escuta a conversa, é muito sensata e parte de alguém que afirma possuir um monte de denúncias trazidas a ele por“ilibados irmãos do hospital”, os quais ele se recusa a dar os nomes. Porém há muito mais por debaixo desse pano.

Veja o programa

Quem assina o bombástico “dossiê” é o irmão Alberto Eduardo Levy, criador do Plano de Saúde Santa Casa e ex-provedor da irmandade. Um nome realmente ilibado e que prestou diversos serviços ao hospital. Homem sério que empresta sua credibilidade para referendar a denúncia.

doc1

Essa é a folha final do dossiê que Polaco encaminhou ao Conselho e mostra pela Cidade

Porém, Levy faleceu há 25 anos, ainda como provedor da Santa Casa, sendo sucedido pelo seu vice provedor, Manoel Lourenço das Neves, no momento de sua morte no dia 01 de maio de 1994. Levy deixou a Cidade e o hospital órfãos no mesmo dia que Ayrton Sena morreu na curva de Tamburello.

doc4

Será que o vice provedor, que há décadas é irmão da Santa Casa, se esqueceu do falecimento de Levy? Estaria o vice-provedor acometido de alguma doença? Ou teria Polaco recebido uma mensagem psicografada em algum centro espírita (já que segundo relatos, ele costuma frequentar centros kardecistas com o filho Fernando, produtor cultural de diversas peças do tema)?Ou Levy incorporou em terreno de umbanda? As denúncias são apócrifas e se escondem atrás de um homem honrado que sequer está entre nós para se defender. Abaixo segue assinatura de Levy em um documento antigo do hospital que tivemos acesso:

doc5

Compare agora a assinatura da denúncia que está sendo divulgada por Polaco com a original, onde claramente se vê o ato ilícito de falsificação:

doc6

Observando a assinatura da denúncia e a assinatura verdadeira é claro que, mesmo se considerarmos a hipótese não confirmada cientificamente de existir vida após a morte, Levy nada tem a ver com o dossiê referendado por Polaco.

É óbvio que isso não quer dizer que o que está no dossiê não merece ser esclarecido. Apenas que é obra de algum covarde que se esconde atrás de mortos para fazer seu serviço sujo de olho no “poder” da Santa Casa. Nele, há acusações como funcionários que recebem dois salários para estar em dois lugares ao mesmo tempo, uso de empresas suspeitas, favorecimentos de conselheiros, entre outros fatos que devem ser investigados e que este blog está apurando a veracidade e trará os fatos com provados a você leitor.

O presidente do Conselho da Santa Casa é o advogado e ex-procurador, Elias Jacob, homem sério e que antes mesmo de Polaco, já tinha recebido as denúncias e verificado sua assinatura apócrifa e determinado arquivamento, pelo que apurou este jornalista. Porém, após as denúncias serem reproduzidas em documento assinado por Polaco, determinou apuração do caso e marcou reunião do Conselho no próximo mês para debater o tema.

Este blog recebeu diversos indícios que o material assinado por Levy após sua morte teria sido feito por um conhecido advogado da Cidade, que já serviu entidades médicas e foi expulso delas devido a relações do atual provedor da Santa Casa que mostrou as más intenções desse operador do Direito para as entidades que ele representava. Esse mesmo advogado tentou adentrar como membro da Irmandade Santa Casa de Misericórdia há alguns anos, mas sua ficha de adesão “tomou bola preta” – termo que é usado para nomes barrados de adentrar ao grupo devido a condutas pouco éticas- o que deixou esse advogado, conhecido por fazer denúncias contra políticos da Cidade que nunca se confirmam, bastante revoltado. Como indícios não são provas e para bom leitor um pingo é letra, preservamos o nome desse causídico, em prática bem diferente da que ele costuma tomar em suas supostas ações. A pergunta é: a que interesse foi produzido esse documento e enviado para diversas autoridades e Imprensa da Cidade? Será que este advogado reatou relação antiga que tinha com uma entidade eclesiástica da política santista, que depois virou alvo de seus ataques, e que também perdeu empregos de aliados no hospital? Ou teria essa entidade eclesiástica agido por terceiros para cooptar os serviços do ex-aliado e atual desafeto?

Diante de tantas dúvidas ainda a serem esclarecidas sobre o dossiê assinado pelo morto, o fato é que mesmo do alto de seus quase 80 anos de vida e vasta experiência jurídica, Polaco foi ludibriado por uma denúncia apócrifa? Ou estaria com interesses políticos e particulares visando a eleição da provedoria em fevereiro? Esses esclarecimentos serão dados na sequência da série de reportagens que este blog trará nos próximos dias e que mostrará que mesmo as chamadas “forças vivas de Santos” possuem seus interesses próprios na Santa Casa e em seu vasto patrimônio territorial, que ultrapassa o território do município que abriga sua sede. Aguardem!!!

A conferir.