Geraldinho vai bater chapa em 2018

​Foto:causaoperaria.org.br

Os socialistas do PSB chegaram a se animar com a possibilidade do atual governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, deixar o ninho tucano e ser candidato a presidente da República pela sigla de Márcio França, vice-governador. Mas, vontade dá e passa. 

Mais determinado do que nunca, Geraldinho vai bater chapa no PSDB e tentar nas prévias do tucanato, em 2018, ser o candidato do partido ao Palácio do Planalto.

Isso afasta qualquer possibilidade de uma troca de partido e ele deve encarar o presidente nacional do PSDB, Aécio Neves, na disputa. Neves, por sinal, já declarou que vai participar da disputa interna e que será candidato quem chegar em melhores condições.

Alckmin aposta nas administrações de João Doria, na Capital, de sete cidades da Baixada Santista, e outros grandes municípios do Estado para consolidar seu nome para 2018. A conferir.

                                                   

O que os jornalistas podem esperar para 2017?

onde-investir-dinheiroFoto: www.konkero.com.br

As perspectivas para os jornalistas da Baixada Santista para 2017 não são nada animadoras. As poucas empresas que têm profissionais fazendo jornalismo estão cada dia menores. Do outro lado, um legião de trabalhadores sem saber o quer virá a partir de janeiro.

O atento leitor deve estar se perguntando: e os profissionais que foram contratados pelos prefeitos recém-eleitos?

Infelizmente são poucos os escolhidos. Ao contrário do que se pensa, as vagas deixadas não serão repostas, mas servirão apenas como um alento pra quem fica, ou seja, essas saídas vão salvar os empregos de quem ficou.

O que intriga a categoria é que cada vez mais o jornalismo é deixado de lado. Os jornais, por exemplo, com a desculpa que precisam cortar despesas, diminuem seu número de páginas e,consequentemente, enxugam também a qualidade. Como sair da crise oferecendo um produto menor e com menos conteúdo?

Será que a crise está no Jornalismo? Na gestão das empresas? Ou é de credibilidade mesmo? Os profissionais, hoje, são multiplataforma, ou seja, trabalham e produzem para todas as mídias. A contrapartida oferecida é salário baixo, reposição anual abaixo da inflação, falta de um plano de cargo e salários entre outras coisas.

O Jornalismo não está em crise. O interesse pela informação é inerente ao ser humano. É um produto que não se esgota, mesmo sendo maltratado há tempos.

A Música Popular Brasileira homenageada em 24 ruas de PG

tupiry

Quais são as semelhanças entre Dalva de Oliveira e Cássia Eller? As duas são brasileiras, cantoras e fizeram sucesso em épocas bem distintas na música brasileira. No bairro Tupiry, em Praia Grande, Dalva e Cássia viraram nome de rua e têm ainda a companhia de mais 22 cantores conhecidos no Brasil.

Além dos artistas, dois políticos estão eternizados no bairro praia-grandense: o ex-presidente Tancredo Neves, e o ex-ministro de Estado Marcos Freire.

O Tupiry é um bairro residencial que fica às margens Rodovia dos Imigrantes. Numa pesquisa pela internet, pelo menos no Estado de São Paulo, é o local com o maior número de homenagens aos cantores do País.

Na Vila do Sol Nascente, bairro que fica a 35 quilômetros da Praça da Sé, pertinho do Pico do Jaraguá, na zona norte da Capital, 12 cantores são homenageados, a metade de Praia Grande.

Confira os 25 cantores homenageados na Praia Grande e a variedade de estilos que representam: Cazuza, Dalva de Oliveira, Paulo Sérgio, Luiz Gonzaga, Dorival Caymmi, Cássia Eller, Tim Maia, Adoniran Barbosa, Jovelina Pérola Negra, Carmem Miranda, Emilinha Borba, Clara Nunes, Raul Seixas, Renato Russo, Dercy Gonçalves , também comediante, Jamelão, Reginaldo Rossi, Cazuza, Elis Regina, Dominguinhos,Waldick Soriano, Nelson Ned, Leandro e Marcelo Fromer (Titãs).

Professor Fabião e os fósforos na gaveta

Com 29.968 votos na eleição para deputado estadual em 2014, o professor Fabião, atual secretário de Cultura de Santos, é atualmente o primeiro suplente do PSB, na Assembleia Legislativa. Em 2017, o socialista terá de ficar com um olho em Santos e outro em Brasília.

O deputado Abelardo Camarinha (PSB) teve sua diplomação cassada pelo Tribunal Regional Eleitoral, acusado de uso indevido dos meios de comunicacão na campanha eleitoral. Camarinha só sai do cargo depois de transitado em julgado os recursos apresentados por sua defesa ao Tribunal Superior Eleitoral. Caso o atual deputado não consiga reverter a decisão do TRE, o professor Fabião veste o paletó e segue para dar expediente na Capital.

O advogado Cristiano Mazeto  disse ao Blog que ainda não existe data para apreciação dos recursos. Fabião garante que não tem acompanhado a situação. Para pessoas próximas, ele revelou que não tem acendido velas pela cassação de Camarinha, mas que tem vários fósforos na gaveta.

Um dos poucos secretários que serão mantidos no novo mandato do prefeito Paulo Alexandre Barbosa, Fabião pode ter um dilema pela frente. Caso seja conduzido à Assembleia, o socialista desiste,  fica em Santos e corre o risco de ser rifado pelo atual prefeito, que tem problemas para cumprir acordos políticos, ou vira deputado estadual e dá andamento a seu projeto político. A conferir.

PT quer voltar a ser o PT

supla2712a

O diretório do Partido dos Trabalhadores em Santos começa a se agitar para o Processo de Eleição Direta (PED). As chapas podem se inscrever até o dia 30 de janeiro e a escolha do novo diretório municipal e os delegados que vão representar a Cidade no Congresso Estadual será no dia 12 de março.

Os grupos “Construindo um Novo Brasil (CNB)”,  dos vereadores eleitos Telma de Souza e Chico do Settaport e, o “Mensagem” , de Cassandra Maroni, Rafael Ambrósio e Fausto Figueira, ainda não definiram seus nomes para presidência na chapa municipal.

O presidente do Diretório Municipal do PT, Bartolomeu Pereira de Souza, o Bartô, garantiu que não pertence a uma corrente no partido. “No PT tem lugar também para quem não quer estar em corrente nenhuma. É o meu caso. Prefiro ver o PT como um todo”, disse ao Blog Santos Em Off.

O grupo “Unidade pela Reconstrução do PT”, do Diálogo e Ação Petista (DAP), ainda não tem um nome, mas já apresenta sua proposta, que tem como principais pontos:
– Fora Temer, Nenhum Direito a Menos: Reaproximação com base sindical e popular. Apoiar a Greve Geral.
– Chega de Conciliação: Mudar a política de alianças simbolizada no acordo com o PMDB.
– Não participar de governo com golpista: Não compactuar com administrações de PMDB, PPS, PSD, PP, PSDB, DEM etc.
– Constituinte pelas reformas populares: Defender uma verdadeira reforma política, que abra caminho para fazer as demais reformas, como a agrária, tributária, do Judiciário, da mídia, as reestatizações e o fim do superávit primário.
– Fim do PED: Retomar a participação efetiva da militância com os encontros de base.

O lema do DAP é ” Agir como o PT Agia”.

O Congresso Estadual do partido será de 24 a 26 de março. O Nacional será entre os dias 7 e 9 de abril.