Ademário ignorou comando da PM e pediu ao governador vinda da Tropa de Choque para Cubatão

choque1Fotos: Reprodução

Passados alguns dias a população, os servidores municipais de Cubatão e a imprensa tentam entender o que levou a Tropa de Choque da Polícia Militar a transformar a área próxima à Câmara Municipal em uma guerra, com balas de borracha, gás lacrimogêneo e cassetete. Os trabalhadores em greve protestavam e queriam evitar que os vereadores aprovassem o Pacote de Maldades que iria atingir toda a categoria. Acabou conseguindo, por 14 a 1.

O Blog Santos em Off apurou que o envio do Choque à Cidade foi um pedido do prefeito Ademário Oliveira. Ele passou por cima dos comandos da PM em Cubatão e da Baixada Santista e pediu socorro diretamente ao secretário de Segurança do Estado Mágino Alves Barbosa Filho e ao governador Geraldo Alckmin.

choque2

Ademário revelou ao governador e ao secretário que, na noite de segunda-feira, havia recebido um telefonema e que alguém disse que iriam “pegá-lo” no dia seguinte. Por isso, achava necessário o envio do Choque, pois corria perigo. Tucano socorre tucano.

Os comandantes da PM já haviam orientado seus policiais que monitorassem tudo e evitassem provocações e não utilizassem nem gás nem cassetete contra os servidores.

A chegada do Choque criou um grande mal-estar, pois a repressão iria cair, como caiu, nas costas de quem coordena os policiais na região e na cidade. Mas ordem do governador e do secretário de Segurança não se discute.

Um vereador chapa branca teria servido para jogar “gasolina na fogueira”. Ele e seus comissionados teriam se infiltrado entre os trabalhadores para instigar os manifestantes a agredir verbalmente todos e quebrar o patrimônio, para com isso, justificar a ação do Choque.

Enquanto o pau quebrava, o Choque dava tiros de bala de borracha, jogava bombas de gás, o prefeito Ademário Oliveira pegou um carro blindado e saiu pelos fundos da Prefeitura. O saldo foi quatro pessoas com alteração de pressão, uma com ferimento na mão e o fotógrafo Irandy Ribas, de A Tribuna e Expresso Popular, com um ferimento na perna, onde levou seis pontos. A equipe da VTV (afiliada do SBT na região) teve seu equipamento de trabalho danificado. A conferir.

 

5 comentários sobre “Ademário ignorou comando da PM e pediu ao governador vinda da Tropa de Choque para Cubatão

  1. Natália Cristina Vigneron de Castro

    O tal vereador “chapa branca” incitou os servidores, mas foi ignorado por todos, o que o deixou muito bravinho. O “pau quebrou” somente em cima dos trabalhadores (homens, mulheres, senhoras e crianças que acompanhavam seus pais) quando a tropa de choque jogou bombas de gás lacrimogêneo e atirou com balas de borracha. Os servidores manifestaram-se de forma pacífica durante todo o dia dessa barbárie e nos outros que se seguiram, apesar da truculência a nós destinada. O prefeito Ademário e os vereadores mancharam a história do funcionalismo cubatense com sangue e violência. Uma vergonha! Aguardamos que desçam de suas salas e venham se desculpar olhando na cara daqueles que foram agredidos, nós servidores, pois suas notas de repúdio jogando a culpa na PM não irão nos convencer. Nosso microfone estará aberto. A greve continua!

  2. Heliane

    Em nome dos servidores de Cubatão, agradecemos pela cobertura que a imprensa tem feito, em um momento em que revivemos a repressão ditando as ordens e não o diálogo. É preciso denunciar esse estado de ditadura em que estamos vivendo!

  3. A nossa cidade já vem com um saldo negativo, deixado pela administração anterior, onde temos a nítida sensação de abandono e descaso, não precisávamos de mais essa vergonha. Estamos sem emprego, sem os serviços essenciais médicos funcionando plenamente, as ruas e calçadas, esburacadas e com mato alto; não temos entretenimento algum….conseguiram acabar com Cubatão! Um polo industrial e petroquímico importantíssimo, ser mal administrado com tal incompetência por 30 anos, é muito triste.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *